Angola conclui acordos de proteção de investimentos com China e Japão - Plataforma Media

Angola conclui acordos de proteção de investimentos com China e Japão

A República de Angola prevê concluir, ainda este ano, os processos de negociação dos Acordos de Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos (APPRI), com o Japão, China e Moçambique, afirmou esta quinta-feira, o secretário de Estado do Planeamento, Milton Reis.

Sem entrar em detalhes em torno deste processo do APPRI, Milton Reis, falava no briefing bissemanal promovido pelo Ministério da Economia e Planeamento, que retomou nesta semana.

Os APPRI são acordos bilaterais que têm como finalidade demonstrar aos investidores internacionais a existência de um mecanismo legal e de segurança para a realização dos seus investimentos.

Ainda sobre o APRRI, pesquisas feitas junto do AIPEX apontam que em África, Angola tem acordos nesse domínio com a África do Sul, Guiné-Bissau e Cabo Verde, na Ásia, com o Qatar, e na Europa com Portugal, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Itália, Rússia e França.

A arquitectura dos APPRI da última geração deve compreender a definição limitada do investimento, definindo claramente os activos que devem ser protegidas.

Clarificação de disposições como expropriação indirecta, tratamento justo e da nação mais favorecida, bem como a solução de controvérsias investidor versus Estado: transparência nos procedimentos arbitrais, sessões abertas, publicação de documentos e a participação pública da sociedade civil devem também fazer parte dos acordos.

O Ministério da Economia e Planeamento, no quadro das acções programadas para este ano de 2021, diz ter em agendada realização de eventos e o estabelecimento de acordos conjuntos para a cooperação bilateral económica com países como os Emirados Árabes Unidos, Rússia, África do Sul, Egipto, Zâmbia, Cuba, República Checa e Alemanha.

Ainda no quadro das acções previstas, o MEP vai divulgar, juntos dos agentes económicos, sectores públicos e privado, os produtos financeiros disponíveis pelas instituições financeiras internacionais, como e o caso do IFC- Cooperação Financeira Internacional adstrito ao Banco Mundial e o Banco de Desenvolvimento Europeu (BDE).

Ainda no domínio da cooperação e desenvolvido, vai-se consolidar a posição de Angola nas organizações regionais e a melhorias da relação com os parceiros de Desenvolvimento, através da regularização da frequência de participação das acções de Angola integração económica regional com ênfase na África Central, SADC e na África Subsaariana, com a Abertura da Zona de Comércio Livre Continental – ZCLA.

No domínio da cooperação económica e com vista a dinamizar o investimento privado, o MEP vai realizar um seminário de capacitação metodológica para os adidos económicos e comerciais.

Artigos relacionados
AngolaSociedade

“Luanda precisa de um roteiro turístico”

AngolaSociedade

Primeiras pessoas vacinadas não relatam efeitos colaterais

AngolaSociedade

Aumentam crianças arrastadas para as vigílias no “Morro dos Veados”

Angola

Supermercados Kero podem ter novos donos este ano

Assine nossa Newsletter