Situação é "extremamente grave" na Suécia - Plataforma Media

Situação é “extremamente grave” na Suécia

Situação na Suécia é “extremamente grave”, com 99% dos cuidados intensivos preenchidos em Estocolmo. Finlândia e Noruega recetivos a prestar assistência.

A Suécia poderá ter de recorrer à assistência dos países vizinhos e a Finlândia e a Noruega já mostraram disponibilidade nesse sentido face a um agravamento da segunda vaga de coronavírus e ao abandono de profissionais de saúde, em especial enfermeiros.

O Conselho Nacional de Saúde e Bem-Estar da Suécia contactou no início da semana as autoridades de saúde de outros países nórdicos para iniciar discussões sobre a melhor forma de ajudar a Suécia ao abrigo do acordo de saúde pública nórdica.

“Há alguns dias, iniciaram-se os primeiros contactos com os outros países nórdicos, para que tenham consciência de que este ainda é um acordo válido, caso surja a necessidade”, disse Göran Karlström, responsável pela coordenação da capacidade de cuidados intensivos entre as regiões da Suécia, ao londrino The Telegraph.

“Não recebemos um pedido oficial de ajuda, mas avaliamos diariamente a situação hospitalar e estamos, naturalmente, prontos a ajudar a Suécia se pudermos”, disse Kirsi Varhila, secretária permanente do Ministério dos Assuntos Sociais e Saúde da Finlândia, ao jornal Svenska Dagbladet.

Leia mais em Diário de Notícias

Artigos relacionados
MundoSociedade

Será que o país que fez diferente contra a covid-19 começa a arrepender-se?

Sociedade

Seis países reportaram casos de covid-19 em visons

EconomiaMundo

Economia ou saúde, o dilema dos governantes

MundoSociedade

Suécia pondera medidas inéditas face ao aumento de casos em Estocolmo

Assine nossa Newsletter