Portugueses são dos europeus com menos capacidade de pagar contas - Plataforma Media

Portugueses são dos europeus com menos capacidade de pagar contas

O barómetro da Intrum ao bem-estar financeiro realizado junto de 24 países europeus revela que, em 2020, Portugal caiu para 19º, estando apenas à frente da Hungria, Polónia, Espanha, Itália e Grécia. Estudo analisou três indicadores: capacidade de pagar as contas, poupar para o futuro e literacia financeira.

O bem-estar financeiro dos portugueses diminuiu de 2019 para 2020. Se ao nível da literacia financeira, o País encontra-se entre os dez primeiros numa lista de 24 países europeus, a verdade é que em indicadores como capacidade para pagar as contas e poupar para o futuro, Portugal está mais próximo do fim da tabela.

O ano de 2020 vai ficar gravado nos livros de história como o ano em que uma doença (covid-19) paralisou grande parte do mundo, levando a confinamentos gerais ou parciais durante semanas, com efeitos não apenas na economia, mas também nas sociedades e na saúde. Apesar de já serem claros os primeiros efeitos – como a subida do desemprego, apesar dos apoios concedidos pelos vários governos – o retrato completo está longe de estar finalizado.

O ano passado foi de crescimento económico para Portugal, dando assim continuidade a uma trajetória já com alguns anos depois de, no início da década, o País ter mergulhado numa recessão – derivada da crise da dívida soberana – e que levou ao resgate por parte dos parceiros internacionais. A pandemia contagiou a economia nacional, tal como as principais congéneres mundiais.

O barómetro da Intrum, empresa que faz gestão de cobranças e recuperação de créditos, tem como objetivo medir e comparar o bem-estar financeiro dos consumidores – definido como a segurança financeira para enfrentar gastos diários necessários e ter o controlo das suas finanças – em 24 mercados europeus. Neste ranking, Portugal ocupa na classificação geral a 19ª posição, estando à frente de cinco países: Hungria, Polónia, Espanha, Itália e Grécia.

Leia mais em Dinheiro Vivo

Artigos relacionados
PortugalSociedade

Sindicatos falam em "trabalho escravo" e contestam horas extra pagas aos médicos

PortugalSociedade

Insatisfeitos e preocupados. Como a pandemia alterou o bem-estar dos portugueses?

EconomiaPortugal

OCDE melhora previsões do PIB para Portugal com queda de 8,4% este ano

Eleitos

A resposta à emergência social e económica no Algarve

Assine nossa Newsletter