Ginecologista usou o próprio esperma em inseminações artificiais

Ginecologista usou o próprio esperma em inseminações artificiais e gerou 17 filhos

Um ginecologista holandês usou o seu próprio esperma em inseminações artificiais sem o conhecimento das pacientes, levando ao nascimento de pelo menos 17 crianças, anunciou, esta terça-feira, o hospital em que trabalhava o médico.

Jan Wildschut, que morreu em 2009, trabalhou entre 1981 e 1993 na clínica de fertilidade do Hospital Isala, em Zwolle, no norte dos Países Baixos.

Pelo menos 17 crianças foram concebidas por meio das práticas do ginecologista, disse o hospital num comunicado à imprensa, chamando os atos cometidos pelo médico de “moralmente inaceitáveis”.

O centro hospitalar, chamado na época de Hospital Sophia, não exclui a possibilidade de Wildschut ser o pai biológico de mais crianças.

O hospital, que tomou conhecimento da notícia no final de 2019, decidiu divulgá-la juntamente com a família do médico e das crianças em causa, de forma a contribuir para uma “maior transparência” na doação de esperma.

Leia mais em Jornal de Notícias

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
AngolaSociedade

Médicos em Angola criam clube para reduzir desigualdades

PortugalSociedade

Médicos estão "exaustos" e com um "espinho cravado na pele"

PortugalSociedade

Médicos intensivistas portugueses com turnos de 24 horas e sem pausas

FuturoMundo

Estudo revela que sequelas da Covid-19 podem melhorar com o tempo

Assine nossa Newsletter