Equipa médica de Trump "cautelosamente otimista" - Plataforma Media

Equipa médica de Trump “cautelosamente otimista”

A equipa médica que assiste o Presidente norte-americano disse estar “cautelosamente otimista” após um dia em que Donald Trump não apresentou febre e não precisou de oxigénio suplementar, embora reconheça que “não está fora de perigo”.

Na sexta-feira Donald Trump, de 74 anos, anunciou na página pessoal da rede social Twitter que, tal como a primeira-dama, Melania, tinha testado positivo ao coronavirus e que iria ficar em quarentena.

Horas depois, foi internado por medida de precaução no Hospital Militar Walter Reed.

Numa declaração distribuída sábado à noite, o médico presidencial, Sean Conley, reiterou que Trump “continua bem” e “fez progressos substanciais desde o seu diagnóstico”.

O Presidente norte-americano não teve febre no sábado e não necessitou de oxigénio suplementar.

“Embora ele não esteja fora de perigo, a equipa [médica] está cautelosamente otimista”, disse, acrescentando que este domingo o Presidente continuará a ser observado e receberá uma nova dose do medicamento antiviral Remdesivir, ao qual respondeu sem complicações.

Trump “passou a maior parte da tarde a trabalhar e deslocou-se sem dificuldade pela suite presidencial”, disse o médico.

Segundo o The New York Times, os níveis de oxigénio no sangue do Trump desceram na sexta-feira e foi-lhe dado oxigénio antes de ser transferido para o hospital.

Conley, médico osteopata, comandante da Marinha e médico do Presidente norte-americano desde 2018, recusou-se a especular sobre quando Trump poderá ter alta do hospital.

De acordo com o Chefe de Gabinete da Casa Branca Mark Meadows, as próximas horas serão “críticas” para determinar se Trump enfrenta ou não um caso agressivo da covid-19

O Presidente norte-americano, Donald Trump, divulgou na conta na rede social Twitter, um novo vídeo, gravado no hospital, no qual diz que começa a sentir-se melhor e espera “voltar em breve”.

No vídeo de quatro minutos, Trump diz que “não se sentia muito bem” quando foi admitido no Hospital Militar Walter Reed, na sexta-feira, após o teste positivo para o coronavírus.

“Sinto-me muito melhor agora, estamos a trabalhar arduamente para que eu recupere totalmente. Penso que voltarei em breve e mal posso esperar para terminar a campanha da forma como a comecei”, acrescentou.

Na comunicação, agradeceu ao pessoal médico que o está a tratar e aos líderes mundiais e cidadãos norte-americanos que enviaram votos de melhoras, dizendo estar a lutar pelos milhões de pessoas que têm tido o vírus em todo o mundo.

“Vamos vencer este coronavírus ou o que quer que lhe queiram chamar”, disse o presidente no vídeo, que não está datado.

O chefe de Estado norte-americano disse ainda que não podia ficar trancado na Casa Branca.

“Não podia sair, nem sequer podia ir à Sala Oval”, afirmou o Presidente, considerando que tinha de “enfrentar o problema”.

Defendeu ainda que as terapias experimentais que está a receber são um “milagre que vem de Deus”.

De acordo com Trump, a primeira-dama, Melania Trump, também está “a lidar muito bem com o assunto” porque é mais nova.

“Um pouco mais nova”, acrescentou Trump, que é 24 anos mais velho do que a mulher.

Assine nossa Newsletter