Festival Literário de Macau encurtado em tempo de Covid-19, começa a 2 de outubro - Plataforma Media

Festival Literário de Macau encurtado em tempo de Covid-19, começa a 2 de outubro

Três dias, cinco novos livros, um total de 19 eventos. O Festival Literário de Macau arranca no próximo dia 2 de outubro com homenagem a Henrique de Senna Fernandes, celebração dos 100 anos de Clepsydra e espectáculo de teatro da Comuna de Pedra a dominarem a programação da próxima edição que acontecerá nas Oficinas Navais e também na Livraria Portuguesa

Cem anos depois, as duas publicações e os respectivos autores vão ser recordados na 9.ª edição do Festival Literário de Macau, que se realiza de 2 a 4 de Outubro, nas Oficinas Navais e também na Livraria Portuguesa. A Revista de Contos será objecto de uma palestra, orientada pelo Professor Zhu Shou Tong, da Universidade de Macau; o livro de poemas de Camilo Pessanha será tema de um espectáculo musical, dirigido pelo maestro Simão Barreto.

Esta edição do Festival Rota das Letras será mais curta do que as anteriores, e quase exclusivamente preenchida por sessões envolvendo autores de Macau. A isso obriga a situação de pandemia de Covid-19 e confinamento que tem dominado o mundo ao longo do ano de 2020. Na sessão inaugural do evento, os autores locais Eric Chau, Wang Feng, Jenny Lao-Phillips e Konstantin Bessmertny vão justamente reflectir sobre os efeitos desta crise na sociedade do futuro, e sobre o impacto que poderá ter nas suas obras.

“A crise devastadora que se abateu sobre o mundo obrigou-nos a repensar a edição deste ano do Festival, numa perspectiva realista de contenção de custos e de aposta nos talentos locais”, afirma Ricardo Pinto, director-geral do Rota das Letras. “Esta mesma crise, enquanto tema de reflexão para todos nós, não podia obviamente estar ausente da programação do Festival”.

Ainda no primeiro dia, serão anunciados os vencedores do Concurso de Contos e lançada a sétima edição do livro de contos e outros escritos do festival, um livro de poemas intitulado ‘Sétimo Céu’, em obediência ao tema do evento do ano passado. Entre os convidados incluídos nesta antologia poética encontram-se Jidi Majia, José Luís Peixoto, Gisela Casimiro e Hirondina Joshua.

O festival convidou o escritor e ilustrador Lin Ge para criar a imagem oficial do 9º Rota das Letras, com base na ideia de ‘Confinamento’. Tendo publicado recentemente novos títulos, Lin Ge, Lawrence Lei e Joseph Ngai vão agora apresentá-los ao público do Festival Literário. A Associação de Teatro de Macau Comuna de Pedra apresentará, por sua vez, uma peça parcialmente inspirada nos romances ‘1984’, de George Orwell, e ‘On Tyranny’, de Timothy Snyder.

“Numa época de crise em que o mundo está dividido em diferentes zonas de bloqueio, a ideologia de ‘Think Global Act Local’ parece ser especialmente relevante”, comenta Alice Kok, directora executiva do Rota das Letras. “Agora é tempo de reforçar a nossa energia criativa e trazê-la para a boca de cena”.  

A projecção de cinema produzido localmente e uma exposição de fotografia que tem por base o tema Macau, 2020: Tempo de Introspecção, são exemplo de outras expressões artísticas que vão mais uma vez integrar o Festival. A exposição será inaugurada a 2 de Outubro na Livraria Portuguesa, onde será também apresentado o mais recente número da revista Zine Photo, da autoria de João Miguel Barros.

Para o dia de encerramento do evento, 4 de Outubro, fica guardada aquela que é, porventura, a mais significativa sessão do festival: a homenagem a Henrique de Senna Fernandes, no dia exacto em que se cumprem dez anos sobre a sua morte. Vão ser lançadas nessa sessão as primeiras traduções em chinês e inglês do livro de estreia do escritor macaense, Nam Van – Contos de Macau, cuja edição original em português data de 1978.

“Uma das principais razões de ser do Festival Literário é a aproximação, através da literatura, das diferentes comunidades de Macau”, justifica Ricardo Pinto. “Fazemo-lo desta vez dando pela primeira vez a conhecer aos públicos de língua chinesa e inglesa, a obra que revelou Henrique de Senna Fernandes como um exímio contador de histórias”.

Na mesma sessão, Miguel de Senna Fernandes, filho do escritor macaense e principal mentor do grupo de teatro em patuá Doci Papiaçam, irá também apresentar o seu primeiro livro de contos.

O programa do evento estará disponível em breve no website do festival: www.thescriptroad.org.

Artigos relacionados
BrasilCultura

Chico Buarque, Martinho da Vila e Nélida Piñon são finalistas do prémio Jabuti

CulturaMoçambique

Feira do Livro de Maputo em edição virtual

AngolaCultura

Músicos angolanos criticam canções com conotação sexual e pedem um "travão"

CulturaMundo

Morreu Quino, o criador de Mafalda

Assine nossa Newsletter