Um dos crimes mais macabros de Macau ocorreu há 35 anos - Plataforma Media

Um dos crimes mais macabros de Macau ocorreu há 35 anos

Hediondo e infame, escreveu a imprensa chinesa de Macau na altura. Uma família inteira, dona do restaurante Pat Sin situado na zona norte da cidade, foi morta e desmembrada devido a alegadas dívidas de jogo. O homícidio dos Oito Imortais faz 35 anos. Reza a lenda que os cadáveres foram transformados em char siu baos e servidos no estabelecimento

Os homícidios dos Oito Imortais, também conhecidos como crimes do pork bun, aconteceram há precisamente 35 anos quando um homem oriundo da China continental de nome Huang Zhiheng assassinou uma família de 10 pessoas no seu próprio restaurante por causa de dívidas de jogo.

O restaurante dos Oito Imortais era um restaurante chinês que existia perto do bairro do Iao Hon, durante a administração portuguesa de Macau. O estabelecimento estava ligado ao hotel Oito Imortais e era propriedade de Zheng Lin, um antigo vendedor ambulante que ali se fixou nos anos de 1960. A sua família ajudava-o no restaurante e todos moravam perto da casa de pasto. O negócio prosperou, mas tanto Zheng como a mulher eram viciados em jogo.

Huang Zhiheng nasceu na China continental antes de emigrar para Hong Kong na década de 1970. Sempre com uma vida ligada ao meandros do crime, Huang teve várias identidades ao longo dos anos, principalmente quando vivia na região vizinha.

Huang Zhiheng

Em 1973, envolveu-se em confrontos com um homem que alegadamente lhe deveria dinheiro e matou-o. Fugiu para Cantão, onde se fixou por diversos anos. Durante a estadia na província de Guangdong, Huang queimou as pontas dos dedos para evitar que as suas impressões digitais o ligassem a qualquer crime cometido no passado.

Depois de várias quezílias com a família da mulher, que teimava em não aceitá-lo, Huang, com cerca de 50 anos na altura, fugiu para Macau, onde não demorou muito até que se envolvesse em questões ilícitas e relacionadas com o jogo e, em particular, com a família Zheng.

Durante uma noite de álcool e jogo em 1984, Huang e Zheng envolveram-se numa série de apostas de alto risco. No final, Huang ganhou 180.000 yuans a Zheng. A família Zheng nunca conseguiu pagar a dívida. Por isso, ambos fizeram um acordo verbal de que Zheng cederia a hipoteca do seu restaurante a Huang se a dívida não fosse paga no prazo de um ano. Huang concordou e foi à sua vida. Contudo, passado um ano, a família Zheng deixou de pagar. Huang afirmou mais tarde às autoridades que, devido a esse incumprimento, os Zheng deviam-lhe com juros, alegadamente cerca de 600.000 yuan. Isso foi fatal para a família.

Casa de Pasto Pat Sin ou Restaurante dos Oito Imortais durante os anos de 1980

Os crimes dos Oito Imortais ocorreram na noite de 4 de agosto de 1985. Nove membros da família Zheng estavam ocupados a limpar o restaurante, depois de fecharem o estabelecimento após mais um dia de trabalho. Autos de polícia na altura revelam que a família foi vista com vida pela última vez por um motorista de entregas no final da tarde desse fatídico dia. À noite, Huang, enfurecido por não receber o dinheiro que lhe era devido, entrou no restaurante e exigiu que os Zheng lhe pagassem 30.000 yuans (à polícia confessou que chegou a reduzir a sua exigência para 20.000 yuans) da dívida contraída.

Huang terá ficado mais agitado quando Zheng Lin recusou-se a transferir a propriedade do restaurante, conforme tinha ficado combinado um ano antes. Não se sabe ao certo o que terá acontecido naquele momento, mas a imprensa chinesa na altura – uma vez que todo o crime parece ter passado ao lado da comunidade portuguesa – escreveu que Huang se terá tornado agressivo para com os Zheng, partindo uma garrafa de cerveja e usando a margem irregular e cortante como arma. Depois, tomou o filho de Zheng Lin como refém e forçou os outros membros da família a prenderem-se e amordaçarem-se uns aos outros, enquanto apontava a garrafa partida ao pescoço do menino.

Mas as coisas pioraram. Huang confessou mais tarde à polícia que um dos membros da família libertou-se e começou a gritar. Tendo o homicida espetado a garrafa partida no pescoço dessa pessoa. Depois disso, decidiu matar a família toda por estrangulamento ou mesmo com a garrafa partida. Para não deixar qualquer rasto, Huang – que conhecia bem todos os membros da família -, ainda atraiu uma das irmãs de Zheng, que estaria noutro lugar, para o restaurante, onde a acabou por matar.

Huang desmembrou os corpos ao longo de oito horas e colocou-os em sacos de lixo de plástico preto. Uns sacos atirou ao mar, outros deitou em diversas lixeiras. Estava terminada a chacina. O homicida recuperou o dinheiro, ficou com o restaurante e também com a casa da família Zheng.

Recorte de jornal da altura em que mostra o retrato dos membros da família Zheng assassinados

Na manhã seguinte, o motorista do camião de entrega que entregou mercadorias aos Zheng na tarde anterior encontrou o restaurante com um aviso na porta a informar que o restaurante estava encerrado por três dias. Surpreso, deslocou-se a casa dos Zheng, onde Huang estava. Ao abrir a porta, o assassino disse ao homem que os Zheng tinham ido numa urgente viagem à China continental.

Quatro dias depois dos crimes, a 8 de agosto de 1985, um nadador encontrou oito pedaços de membros humanos numa praia de Macau. Numa primeira fase, a polícia suspeitou que podiam ser contrabandistas mordidos por tubarões, mas um exame mais minucioso às partes de corpo humano encontradas revelou que cortes precisos tinham sido feitos. Essa descoberta levou a uma investigação policial mais profunda e a uma busca por possíveis desaparecidos.

Recorte de jornal chinês em 1986

Nos dias seguintes, a investigação forense determinou que os membros encontrados pertenciam a pelo menos quatro pessoas diferentes. Outras três partes de corpo humano deram à costa nas praias de Macau durante a semana seguinte. Estas descobertas geraram um interesse significativo da polícia e da imprensa, tendo sido aventadas várias teorias sobre o sucedido. As últimas partes dos corpos dos homicídios dos Oito Imortais só foram encontradas no lixo, quatro anos depois do crime, em 1989.

Depois de parentes dos Zheng terem relatado o seu desaparecimento, a polícia acabou por ligar as pontas soltas e concluiu que as partes de corpo humanos encontradas durantes todos aqueles anos pertenciam àquela família.

Enquanto isso, como se nada tivesse acontecido, Huang tinha reaberto e continuado a operar o restaurante Oito Imortais. Apesar de ser um ato incomum, não justificava surpresa nas pessoas, uma vez que todos sabiam que Huang era conhecido da família e tinha na sua posse os documentos de exploração do negócio. Para ganhar mais dinheiro, o homicida alugou a casa que era dos Zheng. Tudo parecia perfeito até a polícia começar a suspeitar.

Fotografia atual do local abandonado onde outrora estava o restaurante dos Oito Imortais

Quando a polícia decidiu revistar os bens de Hung, descobriu documentos pertencentes a Zheng Lin, bem como cartões de estudante das crianças da família. Huang tentou fugir de Macau, mas acabou preso a 28 de setembro de 1986. Foi acusado pelo assassinato de todos os dez membros da família Zheng e condenado, a 2 de outubro, a pena de prisão.

A revelação pública de que Huang Zhiheng continuou a operar o restaurante durante diversos meses após desmembrar os corpos dos antigos proprietários resultou no mito urbano de que ele tinha cozinhado as suas vítimas em char siu baos.

Já na prisão, Huang foi atacado por outro preso no dia seguinte à sua condenação. Com isso, foi conduzido ao hospital, onde tentou escapar sem sucesso. Finalmente a 6 de outubro, confessou os crimes e detalhou aos investigadores como matou a família Zheng. Huang tentou o suicídio duas vezes, conseguindo-o com sucesso a 4 de dezembro de 1986, após cortar os pulsos com uma tampa de lata. Deixou uma nota de suicídio e uma carta a um jornal de Macau, explicando as suas ações e afirmando na nota que o suicídio não se devia à remissão dos seus pecados, mas para se ver livre de uma vez por todas da asma crónica que padecia há anos.

Os crimes dos Oito Imortais chegaram ao cinema em 1993, no filme de Hong Kong, “The Untold Story”. O filme apresenta uma versão ficcionada do homicídio da família Zheng, e conta com os boatos de que o canibalismo tinha ocorrido após a morte das dez pessoas.

Este artigo está disponível em: English 繁體中文

Artigos relacionados
PortugalSociedade

Polícias têm seis meses para remover tatuagens racistas e partidárias

BrasilSociedade

Jovem é suspeita de matar namorado por causa de pastel de feira

AngolaPolítica

Jovens, médicos e políticos marcham contra a violência policial em Luanda

AngolaSociedade

Polícia de Luanda mata mulher durante invasão de posto policial

Assine nossa Newsletter