Caso IPIM: alegada rede operou durante oito anos - Plataforma Media

Caso IPIM: alegada rede operou durante oito anos

A alegada rede acusada de falsificar informação em dezenas de pedidos de residência terá funcionado durante oito anos – entre 2010 e até 2018, altura em que começou a ser investigada pelo Comissariado contra a Corrupção (CCAC). Foi o que disse na sexta-feira em tribunal o agente que investigou os arguidos do caso de corrupção no Instituto de Promoção do Comércio e Investimento de Macau (IPIM) por associação criminosa.


O investigador tentou demonstrar que o grupo funcionava de forma organizada e com divisão de tarefas, mas falta ainda esclarecer o papel do antigo presidente do IPIM Jackson Chang e de Miguel Ian, também antiga chefia do instituto. A testemunha do CCAC só começou a ser ouvida esta tarde e centrou o depoimento nos alegados líderes do grupo: o empresário Ng Kuok Sao e a mulher, Wu Shu Hua.

Com base em documentos e conversas telefónicas já analisadas pelo tribunal ao longo do último mês, o agente do CCAC disse que o grupo “trabalhava como uma equipa” e actuava de forma “sistemática”.

Leia mais em TDM

Artigos relacionados
MacauSociedade

Tribunal conclui que Eric Sautedé foi lesado por despedimento na Universidade de São José

AngolaDesporto

Basquetebolista angolano Sílvio de Sousa comparece em tribunal em dezembro

PortugalSociedade

Clima: Jovens portugueses querem que Tribunal dos Direitos do Homem julgue 33 países

BrasilSociedade

Tribunal do Brasil aprova financiamento proporcional a candidatos negros

Assine nossa Newsletter