Pablo Escobar, o criminoso mais rico da história - Plataforma Media

Pablo Escobar, o criminoso mais rico da história

Sempre nos habituamos a ouvir os mais velhos dizerem que “o crime não compensa”, mas isso não deve aplicar-se à história de vida dos mais temidos criminosos do mundo. A Africa Trendy publicou o ranking dos 10 criminosos milionários da história

Surpresa ou talvez não. Pablo Escobar surge no topo da lista. O rei da cocaína é, comummente, considerado como um dos mais infâmes criminosos que alguma vez existiu. Aliás, quando Escobar comemorou o seu 35.º aniversário já era um dos homens mais ricos do mundo, tudo devido ao seu negócio de tráfico de drogas com os Estados Unidos, com grande foco nos anos de 1980. E o negócio foi tanto, que, até hoje, é impossível saber o fluxo de droga vendida e o valor total de dinheiro arrecadado.

Muitos sugerem que Escobar terá sido responsável pela introdução de cerca de 80% da cocaína nos EUA naquela altura, acreditando-se que o colombiano, natural de Medellín, faturasse com o negócio cerca de 420 milhões de dólares norte-americanos por semana.

É incerto qual o valor da fortuna arrecadada por Escobar durante a sua vida, mas em 1989 a revista Forbes estimou que as suas popupanças e investimentos, essencialmente no setor imobiliário, valeriam cerca de três mil milhões de dólares.

Pablo Escobar, que já rendeu personagens de cinema e televisão, morreu aos 44 anos durante uma fuga épica à polícia. Tinha sido condenado a 60 anos de prisão dezassesis meses antes.

Na segunda posição surge Al Capone. O mafioso bilionário de origem italiana é um dos mais famosos criminosos da história. “Scarface”, como também era conhecido, fez fortuna durante a Lei Seca implementada nos EUA de 1920 a 1933, quando trazia ilegalmente licores e outras bebidas para o país.

Estima-se que, no seu apogeu, Al Capone tenha chegado a uma fortuna a rondar os 1,3 milhões de dólares, o que para o ínicio do século XX, são valores altíssimos.

Para além dos seus negócios, Al Capone também era conhecido pelo seu temperamento. Matou ou mandou matar centenas de pessoas e foi responsável pelo Massacre do Dia de São Valentim em 1929, em Chicago.

Assumido criminoso, Capone conseguiu não ser condenado pela maioria dos seus crimes. Ainda assim, esteve preso durante seis anos, tendo sido libertado em 1947. Morreu de ataque cardíaco dias depois.

A encerrar o pódio está Anthony Salerno com uma fortuna, estima-se, na ordem dos mil milhões de dólares. Conhecido como “Fat Tony”, a revista Fortune considerou-o, em 1989, o mais poderoso e rico mafioso norte-americano.

A fortuna de Salerno, igualmente de origem italiana, foi feita de diversas formas e feitios. Fraudes em casinos, altas taxas cobradas ou agiotismo foram alguns dos crimes que cometeu. Foi condenado a 100 anos e a 70 anos de prisão em dois diferentes julgamentos. Morreu na prisão em 1992 devido a complicações de saúde.

Em quarto lugar surge Meyer Lansky. Fez fortuna a trabalhar como contabilista para a máfia. Juntamente com o seu companheiro e amigo Bugsy Siegel ajudou a desenvolver Las Vegas naquilo que conhecemos hoje.

Conhecido pela forma creativa como braqueava capitais, usou vários casinos norte-americanos e bancos suíços nos seus esquemas, até que em 1970 foi acusado de evasão fiscal. Para fugir à prisão, tentou fugir para Israel, onde tinha raízes, mas não conseguiu e enfrentou a condenação pelos seus crimes.

Morreu em 1983 de cancro nos pulmões e com 35 mil dólares na sua conta bancária. O seu espólio chegou a valer 400 milhões.

A quinta posição é ocupada por Frank Lucas, o famoso traficante de drogas de Harlem, um bairro de Nova Iorque. Começou, muito novo, de forma muito frugal no mundo do crime. Basicamente roubava. Mas a sua perseverança levou-o aos píncaros nos anos de 1970.

Diz-se que terá traficado droga nos caixões dos militares norte-americanos mortos na Guerra do Vietname. Até hoje, nunca ninguém conseguiu provar o rumor.

A sua história de vida inspirou o filme de Hollywood “American Gangster”. Foi preso 18 vezes, mas só foi condenado três. Apesar da sua fortuna pública rondar os 52 milhões de dólares, acredita-se que esse valor seja falso, pois Lucas escondia a maioria do seu dinheiro.

Griselda Blanco é a primeira mulher do ranking e viveu ligada ao tráfico de drogas. Tal como Escobar, Griselda fez fortuna como traficante de droga ligada ao cartel de Medellín. Chegou a ser testa-de-ferro do tráfico em Miami nos anos de 1950 e as autoridades consideraram-na pioneira na forma como executava o tráfico.

Foi responsável pela morte de, pelo menos, 200 pessoas tanto na Colômbia como nos EUA. Ganhou a alcunha de Viúva Negra e foi assassinada em 2012, aos 69 anos. Estima-se que a sua fortuna tenha atingido o valor de 2 mil milhões de dólares.

Segue-se Dennis Kozlowski. Conhecido como o maior criador de fraudes do mundo, começou por estar preso dois anos (1999 a 2001). Nos seus esquemas, Kozlowski conseguiu arrecadar cerca de 81 milhões de dólares.

Chegou a ser o CEO da Tyco International, empresa de segurança e proteção contra incêndios, situada nos EUA. Também conhecido como “porquinho”, gastou o dinheiro que conseguiu muito rapidamente em iates de luxo e imobiliário em Nova Iorque. Acabou por ser condenado, mais tarde, a 25 anos de prisão, mas saiu em liberdade condicional em 2014.

George Jung esteve ligado ao tráfico de droga. O seu reinado durou, e foi profícuo, nos anos 70 e 80 do século passado. Em 1987 foi preso, mas pagou a fiança e assentou arraiais em Kansas. Em 1994, Jung foi novamente capturado em flagrante delito na posse de 800 quilogramas de cocaína. O seu contínuo comportamento criminal levou-o à condenação à prisão por 60 anos, acabando por ser solto vinte anos depois. Na altura, a sua fortuna valeria cerca de 100 milhões de dólares.

Leona Helmsley é a segunda mulher do ranking. Conhecida pelas suas atitudes de tirana, Helmsley fez fortuna no imobiliário, basicamente não pagando taxas.

Ela e o marido são proprietários de diversos prédios luxuosos de Nova Iorque, onde se incluem o icónico Empire States e o Flatiron.

Em 1989, depois de anos a fio a recusar pagar taxas, foi condenada por extorsão. O seu comportamento criminoso rendeu-lhe uma almofada robusta que, na altura em que foi posta atrás das grades, valeria dois mil milhões de dólares.

O ranking dos 10 fecha com Joaquin Guzman. “El Chapo”, como é conhecido, é, muito provavelmente, depois de Pablo Escobar um dos mais temidos traficantes de droga do mundo. Chegou a ser tido como o mais poderoso traficante pelo Departamento do Tesouro dos EUA.

Dono do cartel de Sinaloa, “El Chapo” tem sido o grande fornecedor de cocaína dos EUA nos últimos anos. Escapou da prisão por duas vezes, numa delas mandou escavar um elaborado e dispendioso túnel com a ajuda de arquitetos e engenheiros. Atualmente preso nos EUA, a fortuna de Guzman deverá rondar, tranquilamente, os mil milhões de dólares.

Africa Trendy é uma empresa de média digital para rankings baseados em opiniões e com crowdsourcing em praticamente tudo.

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
MundoSociedade

Banco Africano prevê até 50 milhões de africanos em pobreza extrema por causa da pandemia

MundoPolítica

Índia proíbe TikTok, WeChat e mais 60 apps chinesas

MundoSociedade

Alimentos resistem ao novo coronavírus

MundoSociedade

600 milhões de crianças do sul asiático necessitam de ação urgente

Assine nossa Newsletter