Estudos mostram que até a tela 'O Grito' precisa da quarentena para sobreviver - Plataforma Media

Estudos mostram que até a tela ‘O Grito’ precisa da quarentena para sobreviver

Pesquisa aponta que humidade e respiração humana são causas de desbotamento da pintura de Edvard Munch.

“O Grito”, quadro do pintor norueguês Edvard Munch, também precisa de distanciamento físico como o imposto pela pandemia do novo coronavírus. É o que indicam cientistas que passaram três anos investigando a perda de brilho e de intensidade da tinta amarela usada na versão do Museu Munch, em Oslo, pintada em 1910.

Um clássico do expressionismo que se tornou símbolo involuntário da angústia que vivemos em tempos de isolamento, a obra, como os humanos nesta pandemia, também põe sua saúde em risco se for exposta a aglomerações.

Leia mais em Folha de S.Paulo.

Related posts
CulturaPortugal

"Um grande testemunho do meu tempo." Graça Morais  expõe Anjos e Lobos

CulturaPortugal

Paula Rego: morreu a pintora das histórias contra a opressão

CulturaMacau

10 de junho: “Metropolis”, de António Mil-Homens, abre portas dia 31 

ChinaCultura

A professora que representa Portugal na Bienal de Pequim

Assine nossa Newsletter