“Não sofremos uma perda nestas eleições” - Plataforma Media

“Não sofremos uma perda nestas eleições”

Sem a candidatura de Chan Meng Kam, o “rei dos votos” das eleições legislativas anteriores, os sucessores da Aliança de Povo de Instituição de Macau, Si Ka Lon e Song Pek Kei, utilizaram uma estratégia de divisão em duas listas, conseguindo ser reeleitos em sufrágio direto para a 6ª Assembleia Legislativa. Ainda que as duas listas não tenham igualado os três lugares obtidos em 2013, Si Ka Lon diz que não sente arrependimento pela estratégia de divisão, defendendo que pode ser considerado que houve sucesso no seguimento do trabalho de Chan Meng Kam, deputado que agora se afasta do hemiciclo.

Nas eleições de 17 de setembro, a lista 8, Associação dos Cidadãos para o Desenvolvimento de Macau (ACDM), e a lista 9, Associação dos Cidadãos Unidos de Macau (ACUM), conseguiram ao todo 24,796 votos, um número inferior ao das últimas eleições em mais de 1600 votos. Há quatro anos, Chan Meng Kam, visto como o líder da comunidade de Fujian, concorreu juntamente com Si Ka Lon e Song Pek Kei, conseguindo três lugares na assembleia, um feito inédito em eleições diretas na RAEM.

“Nós não nos arrependemos de forma alguma desta estratégia [de divisão], pois tínhamos definido a estratégia “2+3”, e apenas considerando toda a equipa poderíamos obter boas probabilidades. A nossa estratégia foi correta”, disse Si Ka Lon ao PLATAFORMA depois das eleições.

Ainda assim, o deputado acredita que a ACUM possui margem para melhorar em termos de políticas e de estratégias eleitorais, rejeitando que os resultados obtidos representem uma perda. “Não sofremos uma perda nestas eleições, mas, por outro lado, também não tivemos um crescimento. Por isso, em todos os aspetos, incluindo estratégicos, acho que é necessário efetuar mudanças”, comentou, acrescentando que os cidadãos de classe mais baixa continuam a ser uma força de apoio particularmente importante para a ACUM.

Nestas eleições, a ACUM encontrou pela frente listas tradicionais e a algumas caras novas – como as listas Observatório Cívico e Poder da Sinergia, vistas como representantes da classe média. Algumas novas listas, como a Poder dos Cidadãos, de Sze Lee Ah, e a União dos Promitentes-Compradores do Pearl Horizon para Defesa dos Direitos, encabeçada por Kou Meng Pok, também possuem ligações a associações ou elementos locais de Fujian.

Si Ka Lon não especula sobre qual a lista para a qual terá perdido votos. Mas, diz que o grupo está a fazer esforços para continuar o trabalho de Chan Meng Kam. “[Chan Meng Kam] também acredita que esta passagem de responsabilidade foi bem-sucedida. Pelo menos, eu e Song Pek Kei conseguimos um lugar na Assembleia”, diz. O deputado também manifestou confiança nos membros das listas oriundos das mais diversas áreas, acreditando que irão nos próximos quatro anos construir gradualmente a sua reputação.

No dia a seguir às eleições, nas atividades de agradecimento pelos votos, Chan Meng Kam assegurou em declarações à imprensa que não irá “de certeza” aceitar uma nomeação como deputado. Porém, quando questionado sobre se irá nas próximas eleições tentar mais uma vez candidatar-se pelo sufrágio direto, preferiu não comentar. Chan Meng Kam é atualmente ainda membro do Conselho Executivo de Macau, apoiando o Chefe do Executivo na tomada de decisões. É também o presidente do grupo Golden Dragon, com negócios no setor do jogo, hotelaria e de venda de eletrodomésticos. 

Shao Hua 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
Opinião

Liberalismo selvagem

Opinião

A Carne De Porco É Cara? Criemos Porcos!

Opinião

Pedido de Compensação Americano Terá Lugar Amanhã

Opinião

O caminho da montanha

Assine nossa Newsletter