HONG KONG VAI TER NOVO CENTRO DE CONVENÇÕES - Plataforma Media

HONG KONG VAI TER NOVO CENTRO DE CONVENÇÕES

 

A região vizinha prepara um estudo de viabilidade para a construção de um novo centro de convenções, aponta jornal de Hong Kong.

 

A ideia de Hong Kong é criar um novo espaço dedicado exclusivamente à organização de convenções e com objetivos diferentes dos outros espaços MICE da região.

Segundo fonte governamental citada pelo jornal em língua inglesa The Standard, as obras deverão começar apenas em 2020. Para já, as autoridades da região vizinha estão a preparar um estudo de viabilidade. O plano preliminar vai ser elaborado pelo Conselho de Desenvolvimento do Comércio de Hong Kong.

De acordo com a mesma fonte, este novo espaço vai localizar-se no terminal de autocarros ao lado do edifício Great Eagle Centre, na área de Wan Chai. O centro de convenções, com uma área de mais de 16 mil metros quadrados, pretende apoiar o desenvolvimento de serviços financeiros e profissionais locais, revelou ainda a fonte do Governo ao jornal em língua inglesa.

Jimmy Ng Wing-ka, vice-presidente da Associação Chinesa dos Fabricantes de Hong Kong, felicita a iniciativa. “Os atuais centros de exposições estão sempre cheios e há uma necessidade de aumentar a escala atual de exposições e convenções locais”, nota. Já a direção da AsiaWorld-Expo (AWE), uma das principais infraestruturas MICE de Hong Kong, sublinhou que o objetivo do novo centro será diferente dos restantes espaços na região. “Wan Chai [onde se encontra também o Centro de Convenções e Exposições de Hong Kong] organiza conferências de alta qualidade, mas a meta do AsiaWorld-Expo são exposições diversificadas”, revelou Allen Ha Wing-on, diretor executivo da AWE.

Menos entusiasmado com a ideia do novo centro de convenções está o vereador do distrito de Wan Chai. Wong Chor-fung receia um agravamento dos problemas de trânsito nesta área da cidade.

“O leste de Kowloon também é um lugar vantajoso”, sugere o responsável.

Kenny Lee Kwun Yee, vereador do mesmo distrito, não é da mesma opinião. O responsável acredita que Governo da RAEHK deverá ter levado a cabo uma avaliação das questões relacionadas com os problemas de transporte. Além disso, com a conclusão dos novos projetos que vão dar forma a uma rota estratégica entre a parte ocidental e oriental da cidade e que deverão estar concluídos entre 2017 e 2020, o fluxo de pessoas vai ser distribuído uniformemente, acredita o vereador.

 

Catarina Domingues

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter