DEPUTADOS PEDEM AUMENTO DOS CHEQUES ANUAIS - Plataforma Media

DEPUTADOS PEDEM AUMENTO DOS CHEQUES ANUAIS

 

Os deputados de Macau José Pereira Coutinho e Leong Veng Chai criticaram o Governo por não aumentar o valor do cheque que todos os anos entrega à população, sugerindo que fosse elevado para 12.000 patacas (1.475 dólares).

Numa intervenção na Assembleia Legislativa, os deputados disseram ser “lamentável” que o valor do chamado plano de comparticipação pecuniária não fosse aumentado em 2014, mantendo-se igual a este ano, ou seja, 9.000 patacas (1.106 dólares) para os residentes permanentes e 4.500 patacas (553 dólares) para os não permanentes.

“As 9.000 patacas não são suficientes para aliviar a pressão da vida quotidiana”, alertou Coutinho, lembrando que para 2015 se espera uma inflação superior a 6%. “O plano de comparticipação pecuniária tem conseguido aliviar, de certa forma, a pressão na população, no entanto o Governo não teve em conta a inflação para decidir sobre o aumento do valor em causa”, disse.

Para José Pereira Coutinho e Leong Veng Chai, é necessário “ajustar o valor da comparticipação pecuniária para 12.000 patacas, face à elevada taxa de inflação, à valorização do yuan e à subida das rendas para níveis incomportáveis para os residentes”.

Os deputados exigiram também que seja criado um “mecanismo para a definição sistemática e científica do seu valor, sem se permitir que este seja determinado segundo a vontade do Governo e sem qualquer transparência e fundamento científico”.

Os cheques à população são atribuídos desde 2008, tendo vindo a aumentar o seu valor com regularidade ao longo dos anos. O objetivo, segundo o executivo, é partilhar os frutos do acelerado desenvolvimento económico – na prática, os cheques são vistos como uma forma de equilibrar o aumento crescente dos preços, num território que regista atualmente uma inflação de 6,03%.

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter