TERCEIRO MAIOR MERCADO FINANCEIRO DA ÁFRICA SUBSARIANA - Plataforma Media

TERCEIRO MAIOR MERCADO FINANCEIRO DA ÁFRICA SUBSARIANA

 

Angola é o terceiro maior mercado financeiro da África subsahariana, com stock de activos correspondente a 70 mil milhões de dólares.

 

A importância de Angola nos mercados financeiros da região é apenas superada pela Nigéria e África do Sul, revelou na última semana o ministro da Economia do país, Abrahão Gourgel,  na cerimónia de abertura da 31ª edição da Feira Internacional de Luanda.

O ministro acrescentou que Angola regista elevadas taxas de crescimento anual na ordem de três porcento e d uma classe média em ascensão, para além do que afirmou ser a concretização de níveis crescentes de bancarização e de atribuição de crédito que fazem antecipar uma evolução muito positiva da procura e da economia em geral.

Ainda em relação aos aspectos positivos da economia nacional, Abrahão Gourgel sublinhou que Angola conta com um empresariado em rápida evolução e aberto a parcerias com investidores externos.

No seu discurso, o titular da economia indicou que a paz permitiu extrair para o país os melhores efeitos da subida do preço do petróleo, na primeira década do século, como atesta o Produto Interno Bruto que teve uma progressão de 5,5 vezes entre 2000 e 2007.

Referiu-se aos anos de crise económica cujas consequência afetaram a taxa de crescimento do país trazendo-a para níveis próximos de 3%, mas em 2013 a taxa ascendeu, de acordo com as previsões, a níveis acima de 6%, suportado por um robusto crescimento do sector não petrolífero, com destaque para a agricultura, indústria transformadora, construção e serviços mercantis.

De acordo o governante, estes setores registaram taxas de crescimento entre 9 a 10% graças ao dinamismo da atividade económica interna.

Gourgel  realçou que Angola, mesmo nos anos de crise, alcançou taxas de crescimento não muito distantes da de crescimento da população do país, por esta razão, continuou, a renda per capita alcançou pela primeira vez em 20013 a fatia de 6 mil dólares, que situa o país no grupo de economias de rendimento médio, de acordo com o Banco Mundial.

Assinalou também que Angola tem mantido a tendência iniciada em 2006 em que o sector  não petrolífero evoluiu a taxas superiores  ao do petrolífero, sendo este, afirmou,  um indicador positivo para o processo de diversificação da economia angolana.

A Filda é um evento multissetorial de exposição e negócios que, desde 1983, junta anualmente empreendedores nacionais, África, América, Europa e Ásia para exporem produtos e serviços, assim como contatos de parcerias.

Esta edição tem com principais objetivos a captação de investimentos nacionais e estrangeiros de modo a potenciar o mercado angolano com bens e serviços, introduzindo, cada vez mais, novos produtos e serviços e promover o desenvolvimento sustentável de Angola.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter