Tabu da morte leva grupo teatral a cancelar peça sobre suicídio

O grupo cancelou a peça de teatro por “suscitar a preocupação do público”. A deputada Lo Choi In diz que a morte ainda é um tabu em Macau, levando a que a consciencialização e “políticas relevantes” não consigam avançar

por Gonçalo Lopes
Meimei Wong

A associação Artistry of Wind Box Community Development planeava apresentar o “The Morning as Usual” de 26 a 28 de janeiro. A peça tinha como ponto de partida um rapaz de 16 anos e o fenómeno do suicídio em Macau.

A associação emitiu um comunicado no sábado (dia 20), dizendo que “a atenção dada a esta produção excedeu a experiência e a capacidade” que tinham. “Após reunião com os membros da equipa, decidimos, com relutância, cancelar o espetáculo”, comunicaram, acrescentando que vão reembolsar quem já tinha comprado bilhete.

“O cancelamento não significa o fim da nossa preocupação com o suicídio em Macau. Esperamos que mais grupos ou instituições colaborem no futuro para prestarem atenção às almas que não são descobertas a tempo nos recantos da sociedade. Pode ser que o público comece a sentir mais empatia por todos os tipos de dor”, disse o grupo.

O PLATAFORMA contactou o Gabinete da Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, o Gabinete de Acção Social, oFundo de Desenvolvimento da Cultura e outros departamentos relevantes.

O Instituto Cultural assume ter recebido críticas sobre a peça e reencaminhou-as para a associação, não se pronunciado sobre o número de opiniões recebidas ou o teor das mesmas. Outros departamentos declararam não ter recebido quaisquer comentários ou pedidos de informação.

O Instituto Cultural respondeu ter recebido na sexta-feira três opiniões a expressar preocupação sobre a peça de teatro.

Quanto ao financiamento, as respostas do Gabinete da Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura e do Fundo de Desenvolvimento da Cultura são condizentes: “Este espetáculo era um projeto financiado pelo Fundo de Desenvolvimento da Cultura”. No entanto, “como os atores do não puderam cumprir com os horários, tomaram a iniciativa de cancelar o subsídio”.

A Artistry of Wind Box confirma ao PLATAFORMA que procedeu ao reembolso antes de promover o espetáculo. “Esta é uma decisão puramente do grupo e não há qualquer envolvimento do setor público”, garante.

“Tema da morte é tabu”

A deputada Lo Choi In, que participa regularmente na coluna Voz do Deputado do PLATAFORMA, escreveu na semana passada que “devido aos costumes e à cultura chinesa, o tema da morte é tabu, sendo raramente discutido”. Como resultado, afirma que “políticas relevantes permanecem estagnadas” em Macau.

Há muito que Lo pede ao Governo, serviços competentes e até ao público em geral para que prestem mais atenção às questões de saúde emocional e mental.

Suicídio acima da média

No dia em que o grupo artístico anunciou o cancelamento do espetáculo, registaram-se dois casos de suicídio e uma outra tentativa. A Polícia Judiciária (PJ) informou que os falecidos se tratam de uma empregada doméstica estrangeira e uma idosa local.

Um outro residente local tentou saltar de um prédio, mas acabou por ser convencido a regressar pela sua mulher e pela PJ.

O Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, disse no seu último discurso em Assembleia que há uma média de 10.5 suicídios por cada 100.000 pessoas em Macau, o que é ligeiramente superior à média internacional.

Nos três primeiros trimestres de 2023, foram registados 62 casos de suicídio em Macau. Em 2022, houve 80 casos, 71 dos quais eram residentes de Macau.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!