Início Macau Comissariado contra a Corrupção: Governo de Macau quer alargar competências

Comissariado contra a Corrupção: Governo de Macau quer alargar competências

O Conselho Executivo de Macau propôs hoje o aumento das competências do Comissariado contra a Corrupção (CCAC), que deverá passar a fiscalizar crimes económico-financeiros na esfera das entidades públicas.

A proposta de lei que visa as competências do Comissariado contra a Corrupção, vai ser submetida à apreciação da Assembleia Legislativa. O objetivo é responder “às necessidades do desenvolvimento da sociedade e às solicitações da população para o reforço de fiscalização e o aumento de funções com vista a salvaguardar o interesse público”.

O Conselho Executivo defendeu ainda que esta medida é justificada pela relevância que os crimes económico-financeiros, em especial o branqueamento de capitais, apresentam no contexto da prática de crimes de corrupção.

Leia também: CCAC concluiu a investigação de um caso de corrupção activa praticado por um estudante de doutoramento da Universidade de Macau

Assim, as entidades públicas “passam a poder solicitar ao CCAC para efetuar o acompanhamento presencial de procedimentos administrativos ou praticar atos presenciais de inspeção e tais ações presenciais passam a poder ser também desenvolvidas no âmbito de investigações do CCAC”.

Ao mesmo tempo, “materializam-se as competências de fiscalização e intervenção do Comissariado contra a Corrupção no setor público, competindo-lhe receber informações relativas às infrações criminais e disciplinares dos trabalhadores das entidades públicas, no sentido de permitir efetuar um diagnóstico estatístico, adotando medidas de prevenção e de intervenção adequadas e necessárias”.

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!