Presidente da Câmara de Kiev recebe chaves de Lisboa e afirma que guerra na Ucrânia “é genocídio, e terrorismo”

por Gonçalo Lopes

Antes de dar a palavra ao homólogo, o presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, disse que “estamos aqui para te dizer que Lisboa estará sempre contigo”. Moedas recordou uma visita que fez a Kiev, em 2015, e disse que a Ucrânia já faz parte da União Europeia. “Fui um dos primeiros a ir a Kiev e lembro-me de, nessa altura, sentir que as pessoas queriam ser europeias, queriam fazer parte da União Europeia. Vocês são parte da União Europeia, são parte de nós”, referiu Moedas, salientando que a visita de Vitali Klitschko é “símbolo de liberdade e de superação”.

“És um homem com coragem, incrível, não apenas um homem de família. As tuas histórias são as nossas histórias”, elogiou ainda Moedas, num manifesto claro de apoio à Ucrânia.

Moedas lembrou que a Câmara de Lisboa “esteve desde a primeira hora” ao lado dos ucraninos. “Estivemos aqui na primeira noite, 24 de fevereiro (quando começou a guerra na Ucrânia), e fomos àquela janela gritar: ‘Estaremos sempre com a Ucrânia’. Foi exatamente aqui que decidimos lançar o centro de acolhimento (para refugiados ucranianos) em Lisboa. Por lá passaram 2500 pessoas, fornecemos 23 mil refeições”, informou.

Leia mais em Jornal de Notícias

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!