Início Atualidade Visitantes estrangeiros apenas 2,2 por cento do total em janeiro

Visitantes estrangeiros apenas 2,2 por cento do total em janeiro

Nelson Moura

Os turistas estrangeiros representaram 2,2 por cento do total em janeiro deste ano, revelou a Diretora dos Serviços de Turismo de Macau (DST), Maria Helena de Senna Fernandes.

Segundo o jornal de língua chinesa Macao Daily, em fevereiro deste ano, a média diária de visitantes em Macau atingiu os 57.000 – a maioria do interior da China – com a diretora da DST a indicar que no início de março, a média diária foi superior a 50.000 visitantes.

A informação foi avançada por Helena num discurso de abertura de um seminário académico organizado pela Sands China e pelo Instituto de Formação Turística (IFT) sobre convenções e exposições.

A diretora revelou também que as Filipinas, Coreia do Sul, Indonésia, Japão e os Estados Unidos foram os cinco principais mercados de origem de turistas na RAEM no primeiro mês do ano.

Com a retoma gradual dos voos internacionais e viagens mais convenientes com Hong Kong, a diretora acredita que a percentagem de turistas internacionais vai aumentar em breve para 10 por cento.

A Expo Internacional de Turismo (Indústria) de Macau, planeada para junho deste ano, vai ter um foco na atração de expositores estrangeiros, com o 10.º Fórum da Economia de Turismo Global – 2023 a ter lugar em setembro, com a Itália como país parceiro.

No mesmo evento, o Administrador Executivo do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), Sam Lei, indicou que mais eventos anuais empresariais e conferências académicas estão planeadas para este mês e o próximo, prevendo-se a presença de 14.000 pessoas.

Lei antecipou que a área de exposições em Macau deve atingir os 262 mil metros quadrados este ano, maior do que a de Hong Kong.

O representante do IPIM espera também que 700 eventos sejam realizados este ano, quase metade do número registado antes da pandemia, e que se acabe o ano com talvez 800 a 1.000 eventos realizados.

Lei acrescentou que três grandes eventos tiveram lugar em Macau no mês passado, incluindo um com mais de 4.000 participantes, com o gasto médio dos visitantes de convenções e exposições no ano passado a atingir as 5.000 patacas, um valor 1,5 vezes maior do que o visitante comum.

No entanto, a despesa per capita dos participantes em convenções e feiras internacionais como a MIF e a Feira de Produtos de Marca de Guangdong e Macau, foi superior a 10.000 patacas.

O presidente e diretor-executivo da Sands China, Wilfred Wong Ying-wai,destacou no mesmo evento que a concessionária possui atualmente 150 mil metros quadrados de espaço flexível para convenções e exposições e planeia desenvolver uma nova instalação de convenções e exposições com 18 mil metros quadrados nos próximos dez anos.

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!