Advogada da mulher que acusa Dani Alves de violação: “Achavam que ninguém ia acreditar…”

por Gonçalo Lopes

A advogada da jovem que acusa o futebolista Dani Alves de violação, Ester García López, disse numa entrevista ao portal brasileiro UOL Esporte que o jogador “não usou preservativo” durante o alegado ato e contou que a sua cliente está a receber apoio psicológico, revelando detalhes sobre o depoimento da mulher que “teme ter a sua identidade revelada”.

“Ela está a receber apoio psicológico através de uma entidade pública especializada em tratar vítimas de violência. O hospital prescreveu todo um tratamento dirigido a evitar qualquer tipo de doença infecto-contagiosa, porque não foi utilizado nenhum preservativo. Ela também está a fazer tratamento para poder dormir, mas disse-me que não consegue fazê-lo. Por sorte, ela saiu da discoteca de ambulância e foi diretamente para a Unidade Central de Agressão Sexual. Ao contrário do que acontece com a maior parte das vítimas de violência sexual que, por nojo, lavam as suas roupas íntimas, ela nem teve tempo de pensar nisso. Foi rapidamente atendida enquanto os indícios permaneciam lá”, explicou a advogada.

“A minha cliente deu um depoimento conciso, sem qualquer contradição, e isso é muito raro. Muitas mulheres sofrem de stress pós-traumático e esquecem-se de detalhes, mas isso não invalida a verdade. No caso dela, isso não aconteceu. Lembrava-se de tudo do início ao fim. Isso, juntamente com a possibilidade de fuga por parte do senhor Alves, que tem uma condição financeira favorável e dupla nacionalidade, foram determinantes para a prisão”, apontou.

Leia mais em O Jogo

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!