"Crescimento chinês impulsiona recuperação económica global", diz especialista - Plataforma Media

“Crescimento chinês impulsiona recuperação económica global”, diz especialista

A China terá um papel importante na recuperação pós-pandêmica da economia global, disse à Xinhua o presidente da Câmara de Comércio China-Bélgica, Bernard Dewit, em uma entrevista recente.

A pandemia interrompeu muitas cadeias de suprimentos globais, disse Dewit, e também afetou a produção, restringiu viagens e causou muita ansiedade no mundo todo. No entanto, a China alcançou um crescimento positivo durante a pandemia e se tornou a segunda maior economia do mundo.

De acordo com Dewit, várias instituições internacionais acreditam que o crescimento econômico chinês deve acelerar, o que, por sua vez, injetará um forte impulso na recuperação econômica global.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) previu em novembro passado que a economia chinesa crescerá 4,4% em 2023. Como resultado, disse Dewit, a China continuará sendo um apoio importante para as indústrias globais e cadeias de suprimentos para retornar às operações normais.

Isso é completamente importante na estabilização da economia global, observou ele.

A China também é um ator importante nas cadeias de valor globais, disse Dewit e, portanto, tem um impacto significativo nos setores de fabricação, transporte e logística global.

O país é responsável por quase 30% do comércio global de manufatura e por uma fatia ainda maior de muitos insumos intermediários da cadeia de valor global que são essenciais para a produção.

A China conseguiu se recuperar bem do impacto da pandemia de COVID-19, em parte graças às fortes medidas de estímulo do governo e medidas eficazes de controle da pandemia, disse Dewit.

Espera-se que a atual reforma econômica e as políticas de abertura da China, juntamente com a expansão da classe média do país e o aumento do consumo, impulsionem o crescimento econômico.

No geral, embora haja uma incerteza à curto prazo, a perspectiva econômica de longo prazo da China é geralmente considerada positiva, observou ele.

Como a China é um importante ator econômico global e um consumidor significativo de bens e serviços, uma economia chinesa forte e estável será benéfica para todos, acrescentou Dewit.

A China é um forte defensor da economia global aberta, disse ele, e pede que a comunidade internacional fortaleça a solidariedade e a cooperação, melhore ainda mais o sistema de governança global e trabalhe em conjunto para encontrar soluções para questões globais. O país também defende fortemente o desenvolvimento de um mercado mundial compartilhado.

Do ponto de vista econômico, disse Dewit, a dissociação das economias dos EUA e da China pode ser prejudicial para ambos os países.

A interrupção dos laços econômicos entre os dois países provavelmente causará o aumento dos custos para empresas e consumidores e pode desacelerar o crescimento econômico global, disse ele.

Também seria difícil implementar na prática, disse Dewit, já que ambas as economias são integradas e têm muitas áreas de benefício mútuo.

Enquanto isso, o comércio entre a União Europeia (UE) e a China cresceu rapidamente na última década e é estimado que continue desenvolvendo nos próximos anos.

A China e a UE também cooperam em outras áreas econômicas, como investimento, transferência de tecnologia e desenvolvimento sustentável, disse Dewit.

Este artigo está disponível em: English

Related posts
MundoSociedade

Turismo mundial recuperou 60% do nível pré-pandemia entre janeiro e julho

EconomiaMundo

Recuperação mundial pós-covid traz ameaças climáticas e sanitárias

Assine nossa Newsletter