Cafôfo investigado pelo menos desde 2018, mas não é arguido - Plataforma Media

Cafôfo investigado pelo menos desde 2018, mas não é arguido

Se tivesse de preencher o novo “questionário” de escrutínio às personalidades convidadas para o Executivo, Paulo Cafôfo teria de responder “sim” pelo menos à pergunta 33.

Paulo Cafôfo (PS) já sabia que a sua conduta como presidente da câmara do Funchal (2013-2019) estava a ser investigada quando aceitou, no ano passado, integrar o atual Governo como secretário de Estado das Comunidades (a tomada de posse realizou-se em 30 de março de 2022).

Sabia Cafôfo e sabia o país inteiro pois essa investigação – esta segunda-feira recordada pelo Correio da Manhã – fora noticiada em outubro de 2020, pelo menos no Jornal da Madeira e no Jornal de Notícias. Se quando foi convidado para secretário de Estado já existisse o famoso “Questionário prévio à integração de novos membros do Governo”, Paulo Cafôfo teria de responder “sim” pelo menos à pergunta 33: “Tem conhecimento de que seja objeto de investigação criminal qualquer situação em que, direta ou indiretamente, tenha estado envolvido?”

Leia mais em: Diário de Notícias

Assine nossa Newsletter