Temporal na região serrana do Rio de Janeiro deixa 18 mortos

Temporal na região serrana do Rio de Janeiro deixa 18 mortos

O número de mortos subiu para 18 esta terça-feira na região serrana do estado do Rio de Janeiro, atingido por fortes chuvas que provocaram deslizamentos de terra e inundações em Petrópolis, informaram os bombeiros

Temporal na região serrana do Rio causa mortes. “Até o momento foram confirmadas 18 mortes provocadas por deslizamentos e alagamentos” ocorridos nas últimas horas, informou em comunicado o corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro (CBMERJ), que afirma estar trabalhando com mais de 180 homens no local, situado 68 km ao norte da cidade do Rio.

Inicialmente, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, havia informado seis mortes.

Os bombeiros não informaram quantas pessoas ficaram feridas ou podem estar desaparecidas.

“Equipes especializadas em Busca e Salvamento foram enviadas para reforçar o socorro, com apoio de viaturas do tipo 4×4 e botes”, informou a CBMERJ, horas após imagens chocantes das chuvas circularem nas redes sociais e na mídia, com casas destruídas por deslizamentos de terra e carros arrastados violentamente pela correnteza.

Em menos de seis horas, alguns pontos da cidade turística receberam até 260 milímetros de chuva, volume acima do esperado para todo o mês de fevereiro, segundo a agência meteorológica MetSul.

A prefeitura de Petrópolis decretou “estado de calamidade” para lidar com a emergência.

Leia também: Chuvas causam mortes, desaparecidos e enchentes na Bahia

Supermercados, casas de eletrodomésticos e outros comércios foram completamente invadidos pela água, que arrastou mercadorias e submergiu as ruas do centro histórico da cidade, segundo vídeos postados nas redes sociais.

O governador do estado do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, viajou a Petrópolis para coordenar os esforços de resgate.

Em visita oficial à Rússia, o presidente Jair Bolsonaro afirmou pelo Twitter estar ciente da “tragédia” e orientou seus ministros a prestarem “auxílio imediato às vítimas”.

“Deus conforte os familiares das vítimas”, acrescentou o presidente.

A prefeitura especificou que a chuva que causou a tragédia “já se afastou da cidade”, mas alertou que há previsão de novas chuvas “leves a moderadas” nas próximas horas.

Petrópolis, estância de veraneio da antiga Corte Imperial, é uma cidade turística de cerca de 300.000 habitantes que atrai um grande número de visitantes em busca de história, passeios pela natureza e um clima mais ameno em relação ao litoral fluminense.

Em janeiro de 2011, mais de 900 pessoas morreram na região serrana do estado do Rio devido às fortes chuvas, que causaram inundações e deslizamentos de terra em uma vasta área, incluindo Petrópolis e as vizinhas Nova Friburgo, Itaipava e Teresópolis.

Related posts
BrasilPortugal

Portugal e Brasil defendem parceria estratégica para o clima entre UE e Brasil

BrasilSociedade

Desastres naturais deixam 48 cidades em estado de emergência no Brasil

MundoPolítica

Costa defende ação climática com transição inclusiva sem "deixar ninguém para trás"

MundoTransportes

Cooperação internacional tem que acelerar em setores que emitem CO2

Assine nossa Newsletter