Transformação da aviação cria novas oportunidades para a China

Transformação da aviação cria novas oportunidades para a China

aviação China

Desde que a China definiu os seus objetivos sobre o pico de emissões e neutralidade de carbono, o país está empenhado em acelerar a transformação sustentável da indústria de aviação. A China passará de um gigante da aviação para uma potência desta indústria, com uma série de oportunidades e espaço de inovação tanto para operadoras locais como internacionais.

O Departamento de Aviação Chinesa definiu o período do 14º Plano Quinquenal como o prazo de otimização de poupança de energia e redução de emissões da aviação civil e da sua transição para o desenvolvimento sustentável. O foco desta mudança é o desenvolvimento qualitativo da indústria, com a sua reforma e inovação como forças impulsionadoras e a redução de emissões de carbono como direção estratégica.

O objetivo é fazer a transição para a promoção de uma aviação civil inteligente, de baixo teor de carbono e com emissões limpas. No ano passado, o país anunciou que iria fazer tudo para atingir o seu pico de emissões até 2030 e a neutralidade de carbono até 2060. A Administração de Aviação Civil da China (CAAC) afirma que irá assumir o objetivo de pico de emissões e neutralidade de carbono como um guia para a promoção da transformação verde da indústria, um novo desenvolvimento centrado à volta de inovação, coordenação, sustentabilidade, abertura e partilha.

Leia também: Sustentabilidade nos aeroportos 

A poupança de energia e redução de emissões na indústria foi sempre vista como uma prioridade importante para a CAAC. A administração já tinha atingindo resultados incríveis na sua promoção através do reforço de certas infraestruturas, aperfeiçoamento e otimização de gestão de operações, bem como o melhoramento da aplicação de novas tecnologias. Zhang Qing, vice-diretora do Departamento de Planeamento de Desenvolvimento da CAAC, afirmou que “devemos estar cientes de que a descarbonização da aviação civil envolve uma série de desafios e obstáculos, incluindo continuar a servir as necessidades de viagem da população, apoiar o desenvolvimento económico e social, assim como aprofundar a gestão ambiental”.

EXPLORAR A INOVAÇÃO VERDE

Com o impacto da pandemia e do ambiente económico global, os dois principais setores da indústria da aviação civil, a produção e transporte, enfrentam desafios e obstáculos sem precedentes. Tanto as empresas nacionais como as internacionais estão agora a promover o uso da tecnologia digital, a construir aeroportos inteligentes e a explorar métodos inovadores que possibilitem emissões de carbono reduzidas.

A Xiamen Air, em conjunto com o Industrial Bank, lançou em novembro do ano passado o bilhete de “neutralidade de carbono”. Este bilhete, disponível na aplicação móvel da Xiamen Air, cobre todas as rotas oferecidas pela companhia aérea. Os passageiros que escolherem esta opção estarão a neutralizar parte das emissões do seu voo. Dependendo largamente do projeto de reserva de carbono no oceano que o Centro de Intercâmbio de Direitos de Propriedade de Xiamen obteve através do Blue Carbon Fund, os passageiros que adquirirem este bilhete poderão participar ativamente na redução do carbono. A primeira série de bilhetes vendidos será usada para um projeto de restauração de mangais.

Na Expo Internacional de Importação da China (CIIE), a FedEx exibiu alguns dos seus projetos e pontos fortes através de três temas como “sustentabilidade”, “digitalização”, “eficiência e fiabilidade”, assim como as suas previsões para o mercado chinês. Eddy Chan, vice-presidente sénior da FedEx e presidente da FedEx China, anunciou em março de 2021 o objetivo da empresa de atingir a neutralidade de carbono até 2040. A meta será alcançada através de um investimento inicial de 2 mil milhões de dólares americanos em três áreas: eletrificação de veículos, energia sustentável e sequestro de carbono.

Leia também: China estabelece centro de pesquisa para alcançar a neutralidade de carbono

“Na China, a FedEx adotou uma série de medidas incluindo eletrificação de veículos, criação de infraestruturas sustentáveis e envio de encomendas sem documentação impressa para reduzir a sua pegada de carbono e conseguir um desenvolvimento sustentável”, especificou.

VOAR EM DIREÇÃO A UM “OCEANO AZUL”

A China está a integrar a redução das emissões de carbono e o desenvolvimento sustentável no seu processo global de crescimento económico e social criando uma série de oportunidades de mercado. Para produtores da indústria de aviação, o desenvolvimento chinês com baixas emissões, especialmente a transformação sustentável da aviação civil, criou um novo “oceano azul” com potencial ilimitado. A Honeywell China and Aerospace Asia Pacific é uma empresa que continua a marcar progresso na China numa série de áreas. Entre estas inclui-se a aviação, logística e digitalização.

O presidente Steven Lien referiu que a empresa tem trabalhado em conjunto com os seus parceiros chineses para explorar novas oportunidades de transformação sustentável na aviação civil. Na indústria de produção de veículos de aviação e mercado de transportes, a Honeywell Aerospace tem auxiliado essas empresas na produção de motores eficientes, exploração do uso de combustíveis sustentáveis e criação de um transporte urbano aéreo sustentável.

“A indústria de aviação chinesa é uma das primeiras do mundo a demonstrar recuperação, provando a resiliência e dinamismo da economia chinesa. Ao longo deste processo de ‘transformação verde’ da indústria iremos trabalhar com os nossos parceiros chineses para explorar e aplicar novas tecnologias na criação de um ecossistema verde e de baixo carbono na aviação”, prometeu Steven Lien.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
MacauPlataforma Sabores

“Extremamente importante para a preservação da cultura macaense”

MacauPlataforma Sabores

Futuro sustentável, fácil e local

MacauPlataforma Sabores

Restaurantes celebram dia da gastronomia sustentável

ChinaPortugal

Voo direto entre China e Portugal é retomado

Assine nossa Newsletter