Europeus consideram posições do Irão 'incompatíveis' com acordo nuclear

Europeus consideram posições do Irão ‘incompatíveis’ com acordo nuclear

O Irão fez propostas que são “incompatíveis” com o acordo de Viena sobre o seu programa nuclear, informaram ontem à AFP diplomatas de França, Alemanha e Reino Unido

As posições do Irão são consideradas incompatíveis com o acordo. “Neste nível, não foi possível entrar nas verdadeiras negociações”, lamentaram os diplomatas. “Perdemos um tempo precioso na discussão de novas posições iranianas, incompatíveis com o acordo ou que vão além do que prevê”.

Após cinco meses ininterruptos, as negociações para salvar o acordo sobre a questão nuclear iraniana foram retomadas em 29 de novembro em Viena.

As conversas reúnem os países que ainda fazem parte do pacto de 2015, ou seja, os três europeus, além de China, Rússia e Irão.

Os Estados Unidos, que se retiraram unilateralmente em 2018 e restabeleceram as sanções contra o Irã sob a gestão do presidente Donald Trump, participam indiretamente.

“Esta situação é frustrante porque os contornos de um acordo equitativo e global, que facilitam o levantamento de todas as sanções e respondem às nossas preocupações de não proliferação, são claramente conhecidos desde o verão passado”, apontaram os diplomatas.

Leia também: Irão volta a negociar com a comunidade internacional

“Mas o tempo está se esgotando. Na ausência de um progresso rápido, e considerando o rápido avanço do programa nuclear iraniano, o acordo é uma casca vazia”, acrescentaram os diplomatas.

O principal negociador iraniano, Ali Bagheri, havia confirmado no domingo o andamento da agenda de temas a serem discutidos nas negociações.

“Há questões essenciais a resolver: a primeira é a diferença de opiniões das partes sobre o que deve ser negociado e a segunda são as divergências de posicionamento sobre as questões”, acrescentou.

O acordo de Viena ofereceu ao Irã o levantamento de parte das sanções que afetaram sua economia em troca de uma redução drástica de seu programa nuclear, colocado sob estrito controle da ONU.

Assine nossa Newsletter