Fórum de Macau lança guias de investimento para países lusófonos

Fórum de Macau lança guias de investimento para países lusófonos

O Fórum de Macau lançou a primeira edição dos guias de investimento dos países de língua portuguesa para ajudar empresas chinesas e do território a investir e desenvolver a cooperação económica sino-lusófona

Guias investimento nos países lusófonos foram lançados pelo Fórum Macau. “Os novos Guias de Investimento visam fomentar o investimento e o comércio provenientes do sector empresarial do interior da China e Macau nos países de língua portuguesa, para que Macau possa exercer integralmente o seu papel de plataforma”, afirmou, na cerimónia de lançamento, o secretário-geral adjunto do Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau).

Ding Tian disse que estes guias de investimento dos oito países lusófonos (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste), bilingues (chinês-português), contaram com a estreita colaboração dos delegados dos países no Fórum de Macau e as agências de promoção do investimento de cada país.

Leia também: IPIM lança portal para promover investimento entre China e Lusofonia

Os guias, produzidos pela empresa local Macaulink com a colaboração da empresa portuguesa Ecospheres, apresentam “toda a informação actualizada (…) na óptica dos investidores chineses”, abrangendo “incentivos e benefícios” para diferentes sectores, “garantias e políticas preferenciais para os investidores”, em termos de lei, regulamentos e formalidades, bem como os “regimes fiscais relativos ao processo de investimento”, salientou.

Leia mais em Hoje Macau

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
MacauPolítica

Novo SG do Fórum Macau visita Lei Wai Nong e Liu Xianfa

MacauPolítica

Reunião ministerial do Fórum Macau adiada para início do próximo ano

LusofoniaMacau

Secretariado do Fórum recomenda adesão da Guiné Equatorial

ChinaEconomia

Fórum Macau: Saúde e recuperação económica no topo das prioridades

Assine nossa Newsletter