Grupo chinês EMGI investe 300 milhões de euros no imobiliário de Lisboa - Plataforma Media

Grupo chinês EMGI investe 300 milhões de euros no imobiliário de Lisboa

O grupo chinês EMGI prevê investir 300 milhões de euros num novo projeto de imobiliário em Lisboa, Portugal. 

A Encosta da Tapada incluirá 550 apartamentos, escritórios e retalho, num dos maiores lotes disponíveis para desenvolvimento na capital portuguesa. É uma antiga pedreira de 14 hectares comprada ao banco Millenium BCP. 

Com vários projetos de reabilitação residencial em Lisboa – localizados principalmente nas zonas nobres da Avenida da Liberdade, Amoreiras e Avenida da República – este é o primeiro investimento do Grupo EMGI em Lisboa fora do segmento de luxo. 

“É um projeto estruturante para a regeneração do Vale de Alcântara, com capacidade para trazer mais de 1.000 novos residentes para a parte ocidental da capital (…). Tem escala necessária para manter a classe média portuguesa na cidade, e que também tem valor acrescentado por usufruir de uma excelente localização”, disse Gonçalo Santos, diretor de desenvolvimento da consultora imobiliária JLL. 

Mesmo na costa, com vista sobre a cidade e o rio Tejo, perto do Parque Florestal de Monsanto e com acesso às principais vias de entrada em Lisboa, o projeto Encosta da Tapada totalizará 87.000 metros quadrados (m2) de habitação, 22.000 m2 de escritórios e 11.000 m2 de comércio a retalho e 900 lugares de estacionamento. 

Para além de espaços verdes, está prevista a contrução de uma escola e um lar para idosos, bem como novos acessos ao distrito de Alcântara. 

A First Global/EMGI – Grupo de Investimento (EMGI) é uma multinacional de origem chinesa que se dedica a atividades empresariais em vários setores, com investimentos relevantes feitos nos domínios da indústria, mineração, turismo, infraestruturas, tecnologia e agricultura em diferentes geografias. Em Portugal é no setor da construção e imobiliário que a EMGI se tem vindo a afirmar. 

A empresa fez o seu primeiro investimento no país em 2014, na reabilitação de imóveis no centro de Lisboa. Desde 2019 trabalha no sentido de realizar um investimento significativo ao nível do desenvolvimento urbano na zona de Alcântara. O projeto imobiliário Tapada do Tejo, na confluência de Alcântara com Monsanto, representa a devolução de um território que estava há décadas perdido para a Cidade e que agora vai ter, e proporcionar, uma nova vida a milhares de lisboetas. Com um conceito inovador – eco-living – a Tapada do Tejo pretende ser uma referência para o desenvolvimento urbano sustentável, na transição do verde de Monsanto para o azul do Tejo. 

China, Hong Kong, Macau, Portugal, Austrália, Canadá e Estados Unidos são países onde a EMGI está presente atualmente, de acordo com a empresa. 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
ChinaEconomia

Portugal quer China a impor lei da rolha

Assine nossa Newsletter