Produção de mel e turismo trazem progresso à montanha Liupan

Produção de mel e turismo trazem progresso à montanha Liupan

A montanha Liupan, em Ningxia, é um paraíso para as abelhas, mas também um ótimo local para fazer turismo. A meio da montanha encontra-se uma exploração de apicultura, onde Xia Ningcheng, de 69 anos, faz um churrasco e conversa com os amigos. “É a primeira vez que encontro apicultura numa quinta. Quando soube que o mel daqui era doce e aromático, planeei logo trazer aqui os meus amigos e familiares. Os anfitriões são muito carinhosos, toda a gente se divertiu”, conta. O dono da quinta, Wang Dingxiang, é um apicultor de 47 anos da aldeia Dongshanpo, município de Jingyuan, na cidade de Guyuan, em Ningxia. Aproveitando a onda de desenvolvimento da apicultura, depois de um negócio falido, voltou à terra natal em 2016 para cultivar mel. 

O município de Jingyuan fica localizado na zona menos desenvolvida da montanha. Aqui não existem fábricas e grande parte da região está coberta de vegetação. Encontram-se muitas fontes selvagens de néctar e mais de 530 tipos de recursos utilizados na medicina chinesa. Entre março e setembro, as flores começam a florescer, criando o ambiente ideal para a apicultura. 

“O mel local tem um aroma próprio, sabor forte e alto valor nutritivo. É muito popular entre os consumidores”, explica Yan Xueqin, diretor do Centro de Desenvolvimento de Serviços da Indústria de Apicultura do Município de Jingyuan. A partir de 2018 a produção local de mel foi registada pelo Ministério da Agricultura como Indicação Geográfica de Agro-produto, tornando-se num tesouro nacional. 

A montanha Liupan é conhecida como um “resort de verão” pelo clima fresco e ameno que apresenta naqueles meses. Wang Dingxiang, quando se apercebeu do céu azul e das nuvens brancas, da água clara e das montanhas verdes que atraem cada vez mais turistas, levando ao desenvolvimento das infraestruturas locais, decidiu “combinar o turismo e a apicultura”.

“Com mais turistas também vamos conseguir vender ainda mais mel”, pensou.

Meteu mãos à obra, restaurou um terreno na encosta da montanha e planeou uma quinta destinada à produção de mel. Com peónias a decorar o local, apelidou-a de “Jardim de mel da encosta”. Em abril do ano passado, começou a vender mel online, atraindo mais de 5400 seguidores de todo o país.  “Durante o ano faço transmissões em direto sempre que tenho tempo. As pessoas conseguem ver o que estão a comprar para consumo e ficam mais descansadas”, explica Wang Dingxiang. 

Mal chega o solstício de verão, muitos turistas procuram onde relaxar e apreciar as flores e o mel. Este ano, além de 360 colmeias, Wang dedicou-se também à criação de aves, tendo mais de três centenas de galinhas. Além disso, decidiu avançar para a construção de um género de pavilhão, onde há um espaço aberto para os visitantes fazerem churrascos, beberem chá ou festas de karaoke. 

“As pessoas da cidade vêm aqui para tirar fotografias, cantar e cozinhar frango ao ar livre. Passam, no máximo, dois ou três dias aqui”, diz. Wang Dingxiang explica que, de forma a oferecer aos turistas um ambiente divertido e conveniente, está sempre em contacto com um centro turístico, localizado a cerca de um quilómetro da quinta, o qual pode acolher até 10 pessoas por noite.

O apicultor assegura que consegue atrair entre 300 a 400 visitantes por ano, sendo a maioria constituída por clientes fiéis. A quinta produz anualmente perto de 4000 quilos de mel, obtendo um rendimento superior a mais de 300 mil yuan. O turismo que criou é o resultado prático do desenvolvimento da apicultura e do turismo regional.

“As abelhas produzem mel e trazem riqueza aos agricultores, mas mais importante ainda é a capacidade que têm de ajudar a restaurar a vegetação através da polinização, promovendo uma agricultura e turismo ecológicos”, assinala Li Yong, diretor da Estação Experimental de Guyuan do Sistema e Tecnologia Nacional da Indústria de Apicultura. 

Atualmente, o município de Jingyuan tem 35 mil grupos de apicultura, com uma produção anual de 300 mil quilos de mel. O valor de produção anual é superior a 50 milhões de yuan, que se traduz por um rendimento médio a rondar os 23 mil yuan por apicultor. No ano passado, a receita integral do turismo no município foi de 790 milhões de yuan, revelando a forte ligação entre a integração industrial e a apicultura sustentável, o turismo e a venda de mel.

“Há imenso espaço para progresso na receita turística deste ano”, refere Wang Xin, vice-diretor da Rádio, Televisão e Cinema do Departamento Cultural e Turístico de Jingyuan. 

De forma a integrar melhor estas duas indústrias – apicultura e turismo -, beneficiando os próprios apicultores, o governo local continua a explorar e a desenvolver esta ligação para criar um destino de férias ideal.

A aldeia de Liugou, Liupanshan, município de Jingyuan, começou agora a testar a ligação direta entre o turismo e a apicultura. Também na aldeia de Yangcuo, Huanghua, município de Jingyuan, a produção de mel dá os primeiros passos.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter