Desemprego atinge recorde de 14,8 milhões de brasileiros - Plataforma Media

Desemprego atinge recorde de 14,8 milhões de brasileiros

Apesar dos sinais de recuperação da atividade econômica no primeiro trimestre, a taxa de desemprego no período subiu para 14,7%, ante 13,9% no fechamento de 2020, levando o total de desempregados no País a 14,805 milhões.

Tanto o índice quanto o contingente de desocupados são os maiores de todos os trimestres da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) do IBGE, iniciada em 2012. Só no intervalo entre dezembro e março, 880 mil pessoas a mais passaram a buscar uma vaga no mercado de trabalho.

“A Pnad retrata um mercado de trabalho enfraquecido, com taxa de desemprego nas máximas históricas. E, olhando qualitativamente, uma série de indicadores corrobora essa visão, com desalento também elevado. Não há ocupação suficiente para esses trabalhadores, e eles estão perdendo o ímpeto de procurar emprego”, afirma o economista sênior do Banco ABC Brasil, Daniel Xavier.

Se forem considerados todos os brasileiros que estão subutilizados, faltou trabalho para inéditos 33,202 milhões no País no primeiro trimestre. Essa conta inclui quem busca emprego, quem trabalha menos horas do que gostaria e poderia e ainda os que estão disponíveis para trabalhar, embora não estejam buscando vaga – caso dos chamados desalentados. É um número equivalente ao da população de países como Peru ou Angola.

Leia mais em Istoé

Assine nossa Newsletter