Ativistas de Hong Kong no banco dos réus por organizarem manifestação

Ativistas de Hong Kong no banco dos réus por organizarem manifestação

Vários activistas proeminentes da luta pró-democracia em Hong Kong compareceram em tribunal, acusados de organizar uma das maiores manifestações de 2019, em protesto contra a lei da extradição. Entre os nove arguidos, encontram-se algumas das personalidades mais respeitadas da antiga colónia britânica, incluindo o advogado Martin Lee, de 82 anos, que há décadas foi escolhido por Pequim para redigir a Lei Básica, o texto que serve de mini-constituição na região semi-autónoma.

Também acusados estão a antiga deputada da oposição Margaret Ng, uma advogada de 73 anos, e o magnata dos media Jimmy Lai, que se encontra actualmente em prisão preventiva, por acusações separadas ao abrigo da lei da segurança nacional.

Vários são figuras de destaque na Frente Civil pelos Direitos Humanos, a coligação que organizou as maiores manifestações em 2019, quando a cidade viveu a sua pior crise política desde a entrega em 1997, com ações e mobilizações quase diárias. Quando os arguidos entraram no tribunal, vários activistas fizeram a saudação com três dedos, um gesto que se tornou um símbolo da luta contra o autoritarismo na Ásia.

Leia mais em Hoje Macau

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
PortugalSociedade

Portugal tem dos níveis mais baixos de violência na Europa

MacauPolítica

Magistrado Teixeira de Sousa termina em março 10 anos de ligação ao MP de Macau

BrasilPolítica

Procurador-Geral envia para o Supremo investigações à conduta de Bolsonaro na pandemia

SociedadeTimor-Leste

Proposta de lei de cibercrime em Timor-Leste pune pornografia infantil e de vingança

Assine nossa Newsletter