Covid-19: Dois medicamentos combinados reduzem em 50% as mortes nos casos mais graves - Plataforma Media

Covid-19: Dois medicamentos combinados reduzem em 50% as mortes nos casos mais graves

A combinação de dois medicamentos, o Tocilizumabe, usado para tratar a Artrite Reumatoide, e um Corticosteroide, como a Dexametasona, pode reduzir a metade as mortes nos casos mais graves de covid-19, segundo um estudo ontem divulgado no Reino Unido.

Os resultados do ensaio clínico “Recovery”, dirigido pela Universidade de Oxford, mostrou esse efeito na mortalidade em pacientes hospitalizados com hipoxia – falta de oxigénio – e inflamação significativa, que necessitaram de ventilação mecânica invasiva, revelaram em comunicado os investigadores.

Quanto às pessoas internadas que apenas necessitaram de receber tratamento com oxigénio não invasivo, as mortes baixaram em cerca de um terço após o emprego de ambos os fármacos

Este trabalho de larga escala, que contou com a colaboração do sistema de saúde público do Reino Unido, já tinha detetado em Junho que a Dexametasona, uma substância anti-inflamatória de baixo custo, contribui para salvar vidas entre os doentes mais gravemente afectados pela doença de covid-19.

Agora, a investigação descobriu que o Tocilizumabe, administrado por via intravenosa, pode reduzir por si só a mortalidade em 4%, sendo o seu efeito amplificado quando usado em combinação com o Corticosteroide.

Esta conclusão do ensaio tem por base uma base de amostra aleatória, na qual 2.022 pacientes receberam a medicação para artrite, e outros 2.094 foram tratados com os fármacos habituais.

Os resultados indicam que 596 dos indivíduos que receberam Tocilizumabe morreram em 28 dias (29%), em comparação com 694 daqueles que não foram tratados com esse medicamento (33%).

Artigos relacionados
MundoSociedade

Amplo estudo confirma eficácia de 94% da vacina da Pfizer contra a covid

MundoSociedade

Humidade produzida pelas máscaras pode reduzir gravidade da covid-19, diz estudo

MacauSociedade

Solteiros correm maior risco de depressão

FuturoMundo

Cientistas descobrem potencial tratamento antiviral "altamente eficaz"

Assine nossa Newsletter