Combate à pandemia e recuperação económica prioridades para novo ano em Macau - Plataforma Media

Combate à pandemia e recuperação económica prioridades para novo ano em Macau

O combate à pandemia e a recuperação económica são as prioridades de Macau para o novo ano, defendeu hoje o chefe do Governo, Ho Iat Seng.

“O Ano do Rato despede-se, levando o inverno, e o Ano do Búfalo chega com a primavera. Neste feliz, tranquilo e belo tempo quero, em representação do Governo da Região Administrativa Especial de Macau [RAEM], endereçar votos de um bom Ano Novo Chinês a todos os residentes e manifestar saudações festivas a todos aqueles que estão atentos e apoiam o desenvolvimento de Macau”, lê-se na mensagem.

Na mesma nota, o líder do executivo do antigo território administrado por Portugal lançou os objetivos para o ano que se avizinha: “coordenar, com firmeza, as ações de prevenção e controlo da pandemia e as de recuperação económica e social, e envidar esforços na aceleração do desenvolvimento da diversificação adequada da economia”.

Macau já se encontrava em recessão desde o primeiro semestre de 2019, com a contração da economia, dependente do mercado turístico e do jogo chinês, a atingir níveis recorde em 2020. O Governo de Macau estimou inclusive uma contração em 2020 de 60,9%.

Macau foi dos primeiros territórios a ser atingido pela crise económica devido à pandemia. O território registou o primeiro caso no dia 22 de janeiro e a partir daí adotou várias medidas sanitárias para controlar a propagação do vírus, como o encerramento dos casinos por 15 dias, um plano de distribuição de máscaras (10 máscaras por cerca de um euro) e um forte controlo fronteiriço.

As medidas sanitárias mostraram-se eficazes: considerada uma das regiões mais seguras do mundo em relação à pandemia de covid-19, Macau contabilizou apenas 48 casos desde que o novo coronavírus chegou ao território, no final de janeiro de 2020, não tendo registado até hoje nenhuma morte causada pela doença.

Contudo, estas medidas praticamente paralisaram a economia, quase exclusivamente dependente da indústria dos casinos e do turismo chinês.

“No ano passado, a pandemia da pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus, que se alastrou por todo o mundo, atingiu duramente a economia de Macau, afetou gravemente a vida dos seus residentes e colocou as ações do Governo perante severos desafios (…) A sociedade de Macau tem enfrentado, unida e solidária, as dificuldades, e a conjuntura socioeconómica mantém-se estável, em geral”, recordou, na mesma nota, Ho Iat Seng, agradecendo ainda todos os esforços da população de Macau no combate à epidemia, em especial, ao pessoal da linha da frente.

“No novo ano, o Governo da RAEM continuará a trabalhar de mãos dadas com todos os setores da sociedade para avançar nas adversidades”, salientou.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
MacauSociedade

Segunda dose de vacinas Sinopharm já chegou a Macau

MacauSociedade

Covid-19: Mais de 25 mil residentes de Macau marcaram vacinação, menos de 4% da população

MacauSociedade

Maiores de 60 anos não vão poder receber vacina Sinopharm

MacauSociedade

2500 pessoas no primeiro dia de vacinação geral contra o Covid

Assine nossa Newsletter