Previsões económicas para a China em 2021 - Plataforma Media

Previsões económicas para a China em 2021

Recuperação, transformação ecológica, desenvolvimento inovador, otimização e abertura. Muitos acreditam que estas serão as palavras-chave para a economia chinesa no ano que agora começou. Mas como irá a China, a única grande economia do mundo a crescer em 2020, evoluir este ano?

Recuperação

Em 2020, a taxa de desemprego urbano na China desceu de 6,2 por cento (pc) em fevereiro para 5,3pc em novembro. Ao longo dos primeiros três trimestres deste ano, o rendimento disponível per capita subiu 0,6pc.

De acordo com Wang Hongju, diretor do Departamento de Desenvolvimento Económico do Instituto de Estratégia Financeira e Económica da Academia Nacional de Ciências Sociais, a taxa de urbanização chinesa deve chegar a 65pc em 2025, desde que o crescimento económico do país mantenha uma taxa constante e o valor da moeda chinesa em relação ao dólar norte-americanocontinue estável.

Com estes requisitos é totalmentepossível que até ao final do 14º PlanoQuinquenal a China(2021 a 2025) atinjaou até exceda os padrões de países deelevado rendimento e duplique o rendimento económico total e per capitado país até 2035.

Segundo o “Livro Azul: Análise e Previsão da Situação Económica Chinesa em 2021” publicado pela Academia Nacional de Ciências Sociais, uma série de medidas em execução têm conseguido resultados notáveis. Os principais indicadores económicos continuam a crescer, a produção industrial aumenta a um ritmo cada vez mais acelerado, o índice de produção do setor de serviços está a subir e a produção e setor industrial chinês continuam em expansão.

FMI, Banco Mundial e OCDE preveem, respetivamente, que o PIB chinês em 2021 atinja os 8,2pc, 6,9pc e 6,8pc, indicando assim que o mundo inteiro está confiante na recuperação económica chinesa.

Acelerar a transformação ecológica

A transformação das indústrias tradicionais também tem acelerado. Indústrias emergentes relacionadas com o mundo online lideram esta tendência e o desenvolvimento sustentável representa uma nova força económica.

Entre o Debate Geral da 75ª Sessão da Assembleia Geral da ONU, em setembro de 2020, e a Cimeira de Ambição Climática de 2020, em dezembro, os líderes chineses têm incentivado uma recuperação sustentável, tomando a iniciativa de aumentar as contribuições nacionais para esta causa, adotando medidas mais eficazes, tentando limitar o pico de emissões de dióxido de carbono até 2030 e conseguindo neutralidade de carbono até 2060.

Durante a Conferência Central Económica foram ainda discutidas as medidas a por em prática no plano para atingir o pico de emissões até 2030, apoiando governos locais e incentivando a que o consumo de carvão atinja um ponto de viragem o mais rápido possível.

O 14º Plano Quinquenal afirma que ao longo dos próximos cinco anos será alcançado um progresso significativo na transformação sustentável da produção e maneira de viver no país, à medida que as emissões dos principais agentes poluentes continuam a diminuir. Até 2035, após o pico das emissões de carbono na China, haverá um decrescimento estável e um progresso fundamental no ambiente ecológico do país.

O Poder impulsionador da inovação

A China tem transformado a inovação na principal força de desenvolvimento económico e social. Durante a 5º Sessão do Plenário do 19º Comité Central do Partido, foi clarificado que esta dependência da ciência e tecnologia deve ser vista como uma estratégia de desenvolvimento nacional.

Em 2019, a contribuição científica e tecnológica da China atingiu os 59,5pc, o que faz com que a taxa de inovação do país ocupe o 14º lugar entre todas as nações, segundo a Organização Mundial da Propriedade Intelectual.

Durante os primeiros três trimestres de 2020, o valor acrescentado das indústrias de produção de alta-tecnologia chinesas, com um rendimento anual acima de 20 milhões de RMB, cresceu em 5.9pc, 4,7 pontos percentuais acima da taxa de crescimento de outras indústrias da mesma dimensão durante o mesmo espaço de tempo. Entre janeiro e agosto, os rendimentos destas empresas de alta tecnologia, de serviços relacionados com tecnologia e de indústrias emergentes, também mostraram um crescimento significativo. Novas empresas com novas
tecnologias são agora uma força cada vez mais importante para o crescimento económico do país.

Modernização industrial

Dados recentes publicados pelo Departamento Nacional de Estatística, indicam que o crescimento dos lucros acumulados das indústrias chinesas continua em ascensão depois de passarem de números negativos para positivos. Entre janeiro e novembro de 2020, o lucro de empresas industriais com rendimentos anuais superiores a 20 milhões de RMB atingiu os 5,744 biliões, com um crescimento anual de 2,4pc, e 1,7pc superior entre janeiro e outubro. 25 das 41 indústrias desta categoria registaram crescimento nos lucros ao longo deste ano.

Artigos relacionados
EconomiaMundo

África subsaariana deve crescer 4,9% superando a recessão de 2,5% em 2020

Economia

BCE prevê recuo do PIB da zona euro de 5 a 12% em 2020

Economia

Angola deverá registar contracção económica de 4,1% em 2020

Economia

Coronacrise vai provocar recessões até 20% nas principais economias da Europa

Assine nossa Newsletter