Portugueses divididos mas dispostos a "pagar o preço" de salvar a TAP - Plataforma Media

Portugueses divididos mas dispostos a “pagar o preço” de salvar a TAP

São 42% os que aceitam a injeção de três mil milhões de euros. Para 37%, o melhor é deixar falir a companhia.

A margem é escassa mas, quando confrontados entre deixar falir ou salvar a TAP, os portugueses inclinam-se para a necessidade de “pagar o preço” que permita à companhia continuar a voar. No entanto, e de acordo com o barómetro da Aximage para o JN, DN e TSF, há, nesta matéria, uma cisma geracional (os mais velhos contra os mais novos) e outro regional (o Norte contra as restantes regiões).

O tema ocupa o espaço mediático desde o final do mês de novembro. Primeiro, com as notícias que davam conta de um plano para despedir centenas de trabalhadores da TAP, depois, com os prejuízos de 700 milhões até setembro, e, já em dezembro, o que faltava conhecer do plano de reestruturação, com a redução da frota e das rotas e, cereja no topo do bolo, a necessidade de injetar cerca de três mil milhões de euros.

Leia mais em Jornal de Notícias

Artigos relacionados
EconomiaPortugal

Governo põe TAP e Portugália em situação económica difícil até 2024

PolíticaPortugal

TAP sobe salários a administradores. Sindicato chocado

PolíticaPortugal

TAP: Ministro disponível para falar com sindicatos, mas poupanças são inevitáveis

EconomiaEditorialPortugal

TAP – Transporte Aéreo Para quê?

Assine nossa Newsletter