Ativista Nathan Law de Hong Kong revela que pediu asilo ao Reino Unido - Plataforma Media

Ativista Nathan Law de Hong Kong revela que pediu asilo ao Reino Unido

Nathan Law, uma das vozes proeminentes do movimento que reivindica uma reforma democrática na região administrativa especial chinesa de Hong Kong, requereu asilo ao Reino Unido.

O pedido de asilo ocorreu seis meses depois de o ativista abandonar Hong Kong na véspera da entrada em vigor da legislação de segurança nacional, forçada por Pequim apesar da contestação sentida quer naquela região administrativa especial, quer pela comunidade internacional.

A China é acusada de liquidar a autonomia de Hong Kong e de querer silenciar vozes que contestam o regime, liderado por Xi Jinping.

“Muitas pessoas, durante muito tempo, trabalharam sob a fantasia de que a China seria um parceiro estratégico do Ocidente, que seria, talvez, uma parte do mundo democrático”, considerou Nathan Law através de um artigo de opinião publicado hoje no The Guardian.

Foi através deste texto que o ativista de 27 anos revelou que pediu asilo ao Governo britânico. O Reino Unido foi o país escolhido por Nathan Law, uma vez que poderá fazer “soar um alarme” em relação a ameaças que as democracias europeias enfrentam por causa do Partido Comunista Chinês.

“O processo de acordar desta ilusão leva tempo. Nos Estados Unidos, a adoção de uma postura assertiva em relação à China e posicioná-la como um dos maiores inimigos do país é agora um consenso bipartidário. Não é o caso no Reino Unido e na União Europeia (UE). Esse consenso precisa de ser construído”, prosseguiu o ativista.

O ativista fugiu de Hong Kong em junho, pouco depois da introdução da lei da segurança nacional, mas apenas agora revelou que encontrou refúgio no Reino Unido poucas semanas depois.

Naquela altura, Nathan Law disse aos seguidores que tem nas redes sociais (tem mais de 266 mil seguires na rede social Twitter) que saiu de Hong Kong por receio das represálias de Pequim decorrentes das ações de contestação que mobilizou – cuja violência dos protestos levou, durante o ano de 2019, ao encerramento temporário do comércio e ao fim da normalidade da vida em Hong Kong.

“A partida de um ativista proeminente sinalizou que algo de muito errado tinha acontecido na cidade”, prosseguiu.

O “Movimento Umbrella” (“Movimento Guarda-Chuva”), fundado em 2014, critica o controlo cada vez maior de Pequim sobre a antiga colónia britânica.

Embora não tenha feito campanha pela independência do território, Nathan Law e outra figuras proeminentes do movimento, incluindo Joshua Wong, foram repetidamente apelidados de separatistas pelo regime chinês.

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
MundoPortugal

Reino Unido proíbe voos de Portugal

MundoSociedade

Nova variante detetada no Reino Unido já chegou a 50 países e territórios

ChinaMundo

Pequim pede a Londres para parar de “interferir nos assuntos internos da China”

MundoSociedade

Reino Unido começa a aplicar a vacina AstraZeneca/Oxford contra covid-19

Assine nossa Newsletter