Fitch revê em baixa economia de Moçambique e prevê contração de 0,7% este ano - Plataforma Media

Fitch revê em baixa economia de Moçambique e prevê contração de 0,7% este ano

A consultora Fitch Solutions reviu em baixa a previsão de evolução da economia de Moçambique, antevendo agora uma contração de 0,7%, quando antes previa um crescimento de 0,2% devido à pandemia de Covid-19.

“O efeito do aumento do desemprego e o persistente receio de contrair Covid-19 entre os consumidores vai limitar a recuperação do consumo privado no resto de 2020, a que se junta um colapso do turismo e das exportações mineiras”, lê-se na mais recente análise sobre a economia de Moçambique.

O documento, enviado aos clientes e a que a Lusa teve acesso, antevê “uma recuperação na procura interna que vai ajudar o PIB [Produto Interno Bruto] real a crescer 3,6% em 2021, apesar de as exportações líquidas continuarem a ser um obstáculo à atividade económica”.

O relatório da consultora Fitch Solutions, detida pelos mesmos donos da agência de notação financeira Fitch Ratings, nota que a economia já se contraiu 1,1% no terceiro trimestre deste ano, que se segue a uma quebra de 3,3% no segundo trimestre, depois de uma “modesta expansão” de 1,7% nos primeiros três meses deste ano.

Com os dados do Instituto Nacional de Estatística, divulgados esta semana, Moçambique entrou em recessão técnica ao registar dois trimestres consecutivos de crescimento negativo, apesar de o terceiro trimestre ter revelado uma queda mais suave do que o segundo.

“Apesar de ainda acreditarmos que o segundo trimestre marcou o ponto mais baixo da atividade económica este ano, os indicadores apontam para uma recuperação mais fraca no segundo semestre do que tínhamos previsto anteriormente”, explicam os analistas.

Para o próximo ano, a Fitch Solutions prevê um crescimento de 3,6%, “parcialmente sustentado por uma recuperação do consumo privado, que deverá expandir-se 4,9%” no total do ano.

Sobre a vacina contra a Covid-19, os analistas estimam que devam ser aprovadas várias no final deste ano e princípio do próximo, mas só deverão chegar aos mercados emergentes no segundo trimestre de 2021 e a Moçambique no segundo semestre do próximo ano.

Moçambique regista 128 mortos e 15.302 casos de Covid-19.

África passou hoje os 50 mil mortos devido à Covid-19, com mais 321 mortes nas últimas 24 horas, e o número total de infetados com o novo coronavírus no continente é de 2.092.279 pessoas, segundo dados oficiais.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número total de mortos é 50.296 e o novo coronavírus infetou nas últimas 24 horas mais 11.356 pessoas nos 55 Estados-membros da organização, sendo que Moçambique regista 127 mortos e 15.231 casos.

O primeiro caso de Covid-19 em África surgiu no Egito, em 14 de fevereiro, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

Artigos relacionados
EconomiaMacau

Fitch prevê quebras entre 50 e 60% das receitas de jogo no início de 2021

AngolaEconomia

Fitch: Reformas continuam em Angola, mas instabilidade social pode aumentar

EconomiaMoçambique

Dívida pública de Moçambique vai subir para 112,8%

Cabo VerdeEconomia

Cabo Verde com dívida pública nos 157% este ano

Assine nossa Newsletter