Presidente angolano quer construir relação "mais próxima" com Biden - Plataforma Media

Presidente angolano quer construir relação “mais próxima” com Biden

O Presidente da República de Angola, João Lourenço, disse que está “ansioso” para trabalhar com o Presidente eleito dos Estados Unidos da América (EUA), Joe Biden, e construir uma “relação mais próxima” entre os dois países.

“Parabéns Presidente eleito Joe Biden e vice-presidente Kamala Harris pela vossa vitória! Estou ansioso para trabalhar convosco na construção de uma relação mais próxima entre Angola e os Estados Unidos da América”, escreveu, ao início da noite de ontem, o chefe de Estado angolano na rede social Twitter.

O candidato democrata Joe Biden foi anunciado no sábado como vencedor das eleições presidenciais de 03 de novembro. Biden derrotou o candidato republicano e atual Presidente norte-americano, Donald Trump, de acordo com várias projeções de órgãos de comunicação social norte-americanos, como, por exemplo, a CNN, The New York Times, The Guardian, entre outros.

A também democrata Kamala Harris vai ser a primeira mulher vice-presidente do país.

O Presidente eleito – que será o 46.º dos EUA – disse, no sábado, ser necessário “sarar” as feridas do país, “unir” em vez de “dividir” e colocar um “fim à era da demonização”.

A pandemia de covid-19 – que desencadeou uma crise económica e o aumento do desemprego -, e as manifestações contra o racismo, a extrema-direita e a violência policial estão a assolar o país.

Donald Trump ainda não reconheceu a derrota eleitoral e chegou a dizer que estava a ser ‘roubado’, no entanto, apesar das sucessivas acusações de frauda eleitoral, o atual chefe de Estado norte-americano não apresentou quaisquer provas de que tal tenha acontecido.

Este artigo está disponível em: English 繁體中文

Artigos relacionados
MundoPolítica

Biden fratura pé

AngolaEconomia

Governo angolano prevê corte de impostos em 2021

AngolaPolítica

"Há brancos maus, mas também há pretos maus, há pretos muito maus”

AngolaPolítica

João Lourenço: "Manifestações não têm de acabar em violência"

Assine nossa Newsletter