Cabo Verde é o melhor país lusófono em África para fazer negócios - Plataforma Media

Cabo Verde é o melhor país lusófono em África para fazer negócios

Cabo Verde é o PALOP onde é mais fácil arrancar e operar um negócio, revela o relatório “Doing Business 2020” do Banco Mundial.

Cabo Verde aparece na posição 137, seguido por Moçambique no lugar 138, São Tomé e Príncipe ocupa a posição 170, Angola 177 e a Guiné-Bissau está no 174º. lugar.

Refira-se que Angola caiu quatro lugares. Em 2019 tinha recuperado quatro posições, estando, desta feita, na 13.ª posição a contar do último da lista, ou seja, é considerado como um dos países piores do mundo para realizar negócios.

Fora do radar africano, mas ainda entre o mundo lusófono, Portugal surge na 39.ª posição, o Brasil no posto 124 e Timor-Leste no 181º lugar.

O pior país do mundo para se estabelecer e operar um negócio é a Somália. O melhor é a Nova Zelândia.

Os Estados Unidos ocupam a sexta posição atrás da Nova Zelândia, Singapura, Hong Kong, Dinamarca e Coreia do Sul, conclui o relatório do Banco Mundial.

Para a elaboração deste ranking são avaliados 10 indicadores: A facilidade para a abertura de empresas, licença para construção, tempo médio para obtenção de energia eléctrica após abertura do investimento, registo de propriedade, obtenção de crédito, protecção a pequenos investidores, negociação através de fronteiras, pagamento de impostos, execução de contratos e resolução de insolvências.

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
EntrevistaLusofonia

"A CPLP não tem um patrão e isso faz a diferença em relação à Commonwealth"

Cabo VerdeLusofonia

‘Todos’ vencem nas autárquicas mas partido no poder sujeito a nova pressão

LusofoniaSociedade

Angola, Cabo Verde e Guiné-Bissau são exemplo no combate à pobreza e subnutrição

LusofoniaPolítica

Portugal garante 1,8 milhões para 32 projetos de cooperação

Assine nossa Newsletter