Covid-19 coloca no desemprego mais de 240 taxistas em Luanda - Plataforma Media

Covid-19 coloca no desemprego mais de 240 taxistas em Luanda

Mais de 240 indivíduos que desenvolviam a actividade de táxi a nível da província de Luanda caíram no desemprego, nos últimos meses, por causa dos efeitos negativos da pandemia da Covid-19, anunciou o presidente da Associação Nova Aliança dos Taxistas de Angola (Anata)

Francisco Paciente revelou que 120 motoristas e igual número de cobradores, todos associados da ANATA, viram-se sem trabalho, depois dos patrões (titulares das viaturas) perderem capacidade financeira para suportar os gastos com a manutenção e reposição de acessórios, e após certas medidas constantes nos Decretos Presidenciais sobre o Estado de Emergência e sobre a Situação de Calamidade Pública.

O presidente da ANATA explicou que, com as declarações do Estado de Emergência e da Situação de Calamidade Pública, por causa do novo coronavírus, o período de funcionamento dos serviços de táxi foi reduzido, assim como os referidos veículos não podiam ultrapassar, inicialmente, um terço da sua capacidade de lotação de passageiros, depois os 50 por cento e, agora, os 75%.
Com essa redução do tempo de operacionalidade diária, que se verificou até 8 de Setembro, e da lotação, avançou que a produção líquida diária de 18 mil Kwanzas baixou para 12 ou dez mil, o que retirou a capacidade de sustentabilidade dos veículos, principalmente naqueles proprietários que não dispunham de fundos ou reservas para enfrentar a nova realidade que o país vive.

“Hoje, muitas viaturas foram retiradas das linhas de operacionalidade, algumas estão paralisadas, por avarias, por causa de os custos com a manutenção serem maiores que os resultados da produção. E a consequência é termos colegas no desemprego”, lamentou.
O responsável da associação criticou ainda o facto de muitos patrões, em função da redução dos 18 mil para 12 ou dez mil Kwanzas, preferirem outros motoristas, não afectos à ANATA, que encurtam rotas, cobram mais do que os 150 Kwanzas, no sentido de manterem os valores iniciais.

Leia mais em Jornal de Angola

Artigos relacionados
ChinaFuturo

China terá 600 milhões de doses de vacinas "prontas para usar ainda este ano"

PolíticaPortugal

Marcelo anuncia estado de emergência até 7 de janeiro para preparar festas

AngolaPolítica

João Lourenço pede na ONU "maior solidariedade" no acesso à vacina contra a covid-19

MundoSociedade

Obama, Bush e Clinton oferecem-se para levar vacina contra covid-19 é provar que é segura

Assine nossa Newsletter