China deseja uma "recuperação rápida" a Trump - Plataforma Media

China deseja uma “recuperação rápida” a Trump

É triste saber que o presidente e a primeira dama dos Estados Unidos tiveram um teste positivo. Espero que ambos recuperem rapidamente e fiquem bem”, escreveu o porta-voz principal do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Hua Chunying, no Twitter.

As relações da China com os Estados Unidos estão num dos seus piores momentos em décadas depois de Washington ter acusado repetidamente Pequim de ser responsável pela pandemia do coronavírus.

Isto é agravado pela guerra comercial e tecnológica, pelas recentes visitas a Taiwan de altos funcionários dos EUA, e pelas sanções dos EUA contra os líderes chineses por causa da situação em Hong Kong.

O embaixador da China nos Estados Unidos, Cui Tiankai, também expressou no Twitter o seu desejo de uma rápida recuperação para os Trumps após a sua SARS-CoV-2 positiva.

“Os meus melhores votos ao Presidente Trump e à sua mulher por uma recuperação rápida e completa”, escreveu Cui numa mensagem.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi transportado na tarde de sexta-feira para o Hospital Militar Walter Reed, nos subúrbios de Washington, por precaução, após ter testado positivo para a covid-19.

“Acho que estou muito bem, mas vamos tentar garantir que as coisas corram bem”, disse Donald Trump numa mensagem de vídeo entretanto divulgada na sua conta na rede social Twitter.

Trump, de 74 anos, reúne vários dos fatores de risco para desenvolver sintomas mais graves do novo coronvírus, devido à sua idade e obesidade.

O médico de Trump, Sean Conley, disse na sexta-feira que os médicos estavam a fornecer ao Presidente um ‘cocktail’ experimental de anticorpos: vitamina D; famotidina, que é tipicamente usada para tratar azia e refluxo ácido; a melatonina, auxiliar do sono, e uma aspirina.

As ações de campanha programadas de Donald Trump vão ser mantidas de forma virtual ou adiadas, anunciou na sexta-feira a equipa de campanha do candidato republicano quando faltam pouco mais de 30 dias para a eleição presidencial.

Trump e Bolsonaro têm em comum o facto de serem dos chefes de Estados mais céticos em relação à gravidade da doença causada pelo novo coronavírus, com ambos a defenderem, desde o início da pandemia, o uso da cloroquina, um fármaco usado para combater doenças como a malária, mas sem comprovação científica contra a covid-19.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos e mais de 34,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Este artigo está disponível em: English 繁體中文

Related posts
MundoSociedade

Países africanos defendem produção local de vacinas para evitar atrasos

Desporto

Tóquio2020: Responsável do Comité Olímpico Internacional afirma que nada pode impedir realização

MundoSociedade

Ibuprofeno não agrava infecção por covid-19, aponta estudo

MundoSociedade

Índia ultrapassa pela primeira vez 4.000 mortos em 24 horas

Assine nossa Newsletter