Cabo Delgado: “O diálogo nunca se deve pôr de parte”, disse antigo Presidente da República - Plataforma Media

Cabo Delgado: “O diálogo nunca se deve pôr de parte”, disse antigo Presidente da República

Numa palestra alusiva aos 30 anos da democracia multipartidária, com a presença de representantes de partidos políticos, juristas, académicos e líderes religiosos, Joaquim Chissano, antigo Presidente da República não se escondeu da situação que se vive em Cabo Delgado.

Joaquim Chissano não acredita que a principal razão dos conflitos terroristas em Cabo Delgado seja pela riqueza em recurso naturais. O antigo Presidente da República assume que o conhecimento das causas irá contribuir para uma melhor resposta para o problema.

“Ainda não cheguei a conclusão, ainda me informaram de que haja uma conclusão de que o que se passa em Cabo Delgado é devido aos interesses pelos recursos que lá existem. Nem sempre há guerras desse género onde há recurso. É frequente, aqui e acolá, encontrar uma pequena relação, mas não se manifesta dessa mesma maneira” posicionou-se Chissano, dando como exemplo alguns países com recursos abundantes, mas que não tem qualquer conflito.

“Para sabermos o que fazer, devemos ter um diagnóstico claro”, frisou.

No entanto, “O diálogo nunca se deve pôr de parte. Seja qual for o conflito”, referiu. Mas não é assim tão simples, como o próprio admite: “deve se encontrar com quem dialogar e o quê dialogar, e sempre procurar”.

Joaquim Chissano mostrou-se solidário com as vítimas dos ataques e declarou total apoio Às Forças de Defesa e Segurança e encorajou-as a continuar a defender do país.

Related posts
EconomiaMoçambique

Cabo Delgado: Suspensão do projeto de gás ameaça 23,6 ME de mercadorias adquiridas

MoçambiqueSociedade

OIM: Deslocados de Palma ultrapassam os 40 mil

MoçambiquePolítica

UE: Moçambique "tem a responsabilidade de garantir a segurança do país”

LusofoniaMoçambique

Moçambique/Ataques: CPLP vai enviar delegação a Maputo

Assine nossa Newsletter