Detido o "rei das fugas", o homem que conseguiu sair da prisão de helicóptero - Plataforma Media

Detido o “rei das fugas”, o homem que conseguiu meter um helicóptero na prisão

O belga marroquino Nordin Benallal foi preso em Ceuta quando participava no sequestro de uma pessoa. É considerado um mestre do escape. Já conseguiu fugir cinco vezes das cadeias belgas, e numa delas envolveu um helicóptero. Ao nível da melhor ficção, a lembrar a série “Prison Break”


Nordin Benallal, 41 anos, belga de origem marroquina, é conhecido como “o rei das fugas” pelas inúmeras vezes que em 20 anos de carreira criminosa conseguiu escapar das prisões belgas – cinco – e também pelos variados truques que usou para escapar. O mestre dos esquemas foi preso agora em Ceuta quando participava no sequestro de uma pessoa, conta o jornal espanhol El Mundo na edição de hoje. Resta ver quanto tempo vai ficar encarcerado ou quando será a próxima fuga…

Nma das suas evasões saiu da cadeia numa carrinha prisional, disfarçado com uma peruca e de óculos de sol. Aproveitou uma visita do seu irmão para trocar de roupa com ele e sair como se nada fosse. De outra vez, fingiu uma lesão no tornozelo durante uma transferência entre tribunais para depois atirar as muletas fora e desatar a correr. Outro esquema foi contornar a parede da prisão graças à corda que lhe atiraram de fora para ajudar numa fuga. E a mais espetacular, a que lhe garantiu cobertura mediática em todo o mundo, foi aquela em que conseguiu sair de helicóptero da prisão. Essa elevou-o ao estatuto dos protagonistas do filme The Great Escape ou da série Prison Break, conta o artigo do El Mundo.

Essa fuga histórica aconteceu a 28 de outubro de 2007 e foi muito cinematográfica. Benallal – condenado por dezenas de assaltos, todos muito violentos, com tiros e feridos – estava então na prisão de Ittre, a 10 quilómetros de Bruxelas. Para ali fora transferido da cadeia de Andenne depois de ser surpreendido pelos guardas a planear uma nova fuga.

Às 18h00 desse dia 28 de outubro, quatro dos seus cúmplices, vestidos como polícias e envergando coletes à prova de bala, entraram numa fábrica de helicópteros, e levaram um aparelho, tendo sequestrado um piloto. Um deles seguiu com o piloto para o forçar a voar para a prisão de Ittre e aterrar no pátio da cadeia. Mas nada saiu de acordo com o planeado. Benallal conseguiu entrar no helicóptero mas outros prisioneiros quiseram aproveitar a oportunidade para escapar também e agarraram-se aos patins do aparelho quando este descolou. O helicóptero caiu, a hélice soltou-se e atingiu um dos reclusos. Tirando partido da confusão instalada e da abertura do portão principal para evacuar os feridos, Benallal roubou uma arma e conseguiu sair. O plano B já o esperava lá fora: a Volkswagen Golf na qual fugiu para a Holanda. Meses depois seria preso nesse país, depois de cometer um assalto em Haia.

Condenado e extraditado para a Bélgica em 2010, a última vez que voltou a ser notícia na imprensa belga foi em agosto de 2018, quando foi libertado com pulseira eletrónica.

Segundo o El Mundo, não há registo se a justiça belga o libertou mais tarde da pulseira eletrónica mas a verdade é que não a usava quando foi detido pela Polícia Nacional espanhola na passada sexta-feira, 21, em Ceuta. A operação policial arrancou depois de os agentes receberem um telefonema às 23.30, de um residente na zona a avisar que viu como Benallal e outros forçaram um homem a entrar dentro de um carro numa rua que esta testemunha indicou.

Vários carros da polícia dirigiram-se para o local. O primeiro a chegar, da Unidade de Prevenção e Reação (UPR), foi atropelado por um dos dois veículos dos suspeitos, “de forma inesperada e intencional”, segundo o comunicado da Polícia Nacional.

Nas fugas de Benallal costuma haver confrontos violentos com a polícia e esta em Espanha não foi exceção. Houve até troca de tiros. A polícia conseguiu intercetar um dos dois carros em que tentaram fugir Benallal e outros dois cúmplices. «Eles resistiram com grande agressividade. O que estava no lugar do pendura investiu contra um dos agentes para lhe tentar roubar a arma de serviço numa luta violenta durante a qual foram disparados três tiros, mas sem causar ferimentos. Os agentes conseguiram deter dois dos ocupantes do veículo, o terceiro conseguiu fugir ”, refere o comunicado.

No porta-bagagens deste carro estava a vítima do sequestro. “Consciente, mas com muitos hematomas e feridas”. Entretanto, outro carro dos suspeitos ao tentar fugir do local colidiu de frente várias vezes com um carro patrulha da polícia e atirou um agente ao chão. “Esse agente, juntamente com um colega, procederam à detenção do condutor desse carro, o qual resistiu com a mesma violência dos seus colegas. Os polícias foram obrigados a retirá-lo do carro pela janela”.

Juntamente com Benallal, foram detidos um outro cidadão belga – M. N., de 39 anos– e um francês –M. B., de 37. Na segunda-feira passada os três foram presentes ao juiz e colocados em prisão preventiva por suspeita dos crimes de sequestro, agressões a agente da autoridade, ofensas à integridade física à vítima do sequestro e ainda crimes contra a segurança rodoviária, conclui o El Mundo.

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
FuturoMundo

Hidroxicloroquina não previne contágio nem combate a Covid-19, diz estudo

PortugalSociedade

Portugal e Espanha vão "assar" com aumento médio da temperatura

DesportoMundo

Espanha humilha Alemanha e junta-se à França na final four da Liga das Nações

CulturaMundo

Prémio Cervantes 2020 atribuído ao poeta espanhol Francisco Brines

Assine nossa Newsletter