Agricultura sustentável em Shaanxi - Plataforma Media

Agricultura sustentável em Shaanxi

A aldeia de Guaili no concelho de Taibai em Shaanxi está localizada 1500 metros acima do nível do mar. A altitude e terreno montanhoso faz com que possua uma temperatura máxima de pouco mais de 20 graus mesmo durante o verão. Embora os frutos e vegetais cresçam a um ritmo um pouco mais lento, a qualidade faz com que tenham grande sucesso. Hong Kong é um dos muitos destinos dos produtos ali produzidos.

“A época de morangos de outros terrenos já terminou, enquanto os nossos só agora entraram na fase de colheita”, afirmou Yang Pinghui, responsável pelo Parque Industrial de Frutos Silvestres Haisheng de Taibai. O preço das colheitas costuma estar entre os 15 e 20 RMB por 250 gramas, e conseguem grandes volumes de vendas. 

Na zona de colheita, Wang Baoxia, de 48 anos, e os colegas colhem os frutos a ritmo elevado. Baoxia sabe que os morangos que está a colher irão passar o resto do dia a viajar entre as montanhas até chegarem ao Aeroporto Internacional de Xianyang em Xi’an, a 200 quilómetros de distância, para depois poderem voar em direção a diferentes regiões e países. 

Esta viagem de 200 quilómetros testemunha o desenvolvimento da “agricultura montanhosa” na vila de Qinling, nos últimos 40 anos. 

O concelho de Taibai é a zona mais alta de Shaanxi. Foi depois de subir a montanha Taibai que o famoso poeta Li Bai expressou a sensação de “conseguir tocar na lua ao estender a mão”. 

Desde a década de 80 que Taibai começou a cultivar vegetais. No início, a área de cultivo era pequena, de difícil acesso e os residentes eram quase todos autossuficientes, viajando de triciclo até à vila para vender as colheitas. 

Zhao Zhiguo, vice-diretor do Centro de Tecnologia Agrícola de Taibai, lembrou que devido às caraterísticas geográficas especiais da região, os produtos são menos suscetíveis a pestes e doenças, e possuem um ciclo de crescimento mais longo. Apesar deste “pequeno atraso”, conseguem aproveitar a diferença e conseguir números de vendas cada vez maiores. Desde 2005 que a área de cultivo cresceu até 2.000 hectares. 

Começando por uma distribuição em triciclo, depois através de carros que viajavam até a entrada da vila, para a distribuição atual por avião, a “agricultura montanhosa” de Taibai mudou consideravelmente

Numa era em que a internet ainda não estava desenvolvida, os produtos dependiam da publicidade de boca-em-boca para atrair clientes. “A fama viajou para além da montanha e cada vez mais comerciantes começaram a levar os produtos até à entrada da vila. Vários carros cheios começaram a descer a montanha com a produção local”, recordou Yang Jumin, residente da aldeia de Tangkou. 

Os restantes locais partilham histórias semelhantes: Nos mercados, alguns vendedores levavam produtos de outros terrenos e diziam que vinham de Taishan, mas o comprador imediatamente reconheceu que estes não tinham as “folhas escuras, sumo e frescura” dos produtos de Taishan.

Quanto maior for a área de cultivo, maior é a variedade de produtos. Inicialmente eram cultivados produtos como couves, rábanos e batatas, mas lentamente foi introduzida a produção de outros vegetais, como brócolos e ervilhas, cobrindo uma área de seis mil hectares em 2012. 

Além da variedade é realizado um rigoroso controlo de qualidade. “Em 2008 começámos a fazer rastreamento da qualidade dos nossos produtos e a controlar possíveis pestes e doenças de forma sustentável. Atualmente podemos ver vários adesivos e eletrocutores de insetos nos campos, muitos instalados pelos próprios agricultores”, assinalou Zhao Zhiqiang, diretor do Departamento de Agricultura e Assuntos Rurais de Taibai, assegurando que todos os agricultores estão conscientes da importância do desenvolvimento sustentável. 

A Cooperativa Agrícola Lvlei Taibai Shaanxi produz maioritariamente vegetais para exportação para Hong Kong. O diretor esclareceu que o tempo desde a colheita até à embalagem dos produtos e entrega final foi reduzido ao máximo de forma a garantir a frescura e sabor. 

Começando por distribuição num triciclo, depois através de carros que viajavam até a entrada da vila, para a distribuição atual por avião, a “agricultura montanhosa” de Taibai mudou consideravelmente. 

Atualmente 86 por cento dos terrenos de cultivo de Taibai produzem vegetais, 85 por cento da população está envolvida nesta produção e 73 por cento dos rendimentos dos locais vêm do cultivo de vegetais. Dados estatísticos mostram que o rendimento disponível per capita dos residentes locais atingiu 11 482 RMB no final de 2019, representando uma subida de 52 por cento em comparação com 2015.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
EconomiaGuiné-Bissau

Campanha de caju deste ano é das piores que ocorreram na Guiné-Bissau – agricultores

Mundo

"Sinais vitais" da Terra estão a enfraquecer, apontam cientistas

BrasilChina

Brasil capaz de 'expandir e diversificar' a oferta de produtos à China

BrasilChina

Centro sino-brasileiro quer promover agrotecnologias sustentáveis

Assine nossa Newsletter