Gana inventou a moda de panos com motivos Covid-19 - Plataforma Media

Gana inventou a moda de panos com motivos Covid-19

Uma empresa de impressão de cera em panos africanos, sedeada no Gana, criou uma nova linha de design com o desenho do vírus em destaque e outros símbolos da pandemia como cadeados e aviões. Dizem eles que é para dar um “toque positivo a um fenómeno negativo”

Os novos panos da empresa têxtil Ghana Textiles Printing (GTP) impressionam por terem um motivo reconhecível globalmente: o desenho do vírus Covid-19, estampado em várias cores e formatos e entrelaçado com cadeados, chaves e aviões. “Demos um toque positivo num fenómeno negativo”, explicou Stephen Badu, porta-voz da GTP à BBC.

“Nós estamos num negócio através do qual se contam histórias. E nós contamos as nossas histórias através dos nossos desenhos”, sublinha Badu. “Sabemos que esta pandemia vai deixar uma marca na História do mundo e é importante que as futuras gerações saibam que este fenómeno aconteceu em tempos”.

Algumas das criações da linha Covid-19 da GTP trazem imprimidos óculos de assinatura, similares aos usados pelo Presidente do Gana, Nana Akufo-Addo, no balanço regular que faz da situação do país em relação à pandemia de coronavírus. “Ele tem óculos espectaculares e é isso que sobressai quando vai à televisão falar”, nota Badu.

Os óculos estampados a lembrar os estilosos usados pelo Presidente do Gana nas suas conferências de imprensa sobre a Covid-19

“Outro desenho que usámos nos panos foi o símbolo do avião, a lembrar que uma das medidas tomadas pelo Gana durante a quarentena foi o fecho de fronteiras e a proibição de voos”.

Os aviões, para lembrar a proibição de voos e fecho de fronteiras impostos pelo Gana na quarentena

As vestimentas com impressões a cera são muito populares no Gana, usadas inclusive por funcionários públicos nas sexta-feiras mais casuais no escritório. Em 2004, o governo lançou uma campanha para incentivar as pessoas a usarem os trajes nacionais às sextas-feiras para apoiar a indústria têxtil nacional. Ainda assim grande parte dos tecidos trabalhados não são produzidos por empresas africanas.

A própria Ghana Textiles Printing, apesar do seu nome é possuída por uma companhia holandesa, a Vlisco. “Os desenhos que imprimimos são criados e imprimidos por ganianos. Por isso por detrás de cada desenho está o nosso sistema de valores, o nosso sentido de arte e como comunicamos”, concluiu Stephen Badu nas declarações à BBC.

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
Hong KongLifestyle

Três estilistas portuguesas mostradas em Hong Kong em novembro

BrasilLifestyle

Modelo brasileira com cicatrizes faz sucesso em campanhas publicitárias

LifestyleMundo

Morre o estilista Kansai Yamamoto, que definiu o estilo de David Bowie

LifestyleMundo

Naomi Campbell diz ter sido vítima de preconceito racial no mundo da moda

Assine nossa Newsletter