Governo da Guiné-Bissau impõe cerca sanitária a todo o país - Plataforma Media

Governo da Guiné-Bissau impõe cerca sanitária a todo o país

O Governo da Guiné-Bissau impôs hoje cerca sanitária em todas as regiões do país para impedir o aumento dos contágios pelo novo coronavírus no âmbito da regulamentação do estado de emergência declarado pelo Presidente, Umaro Sissoco Embaló.

Segundo o regulamento, distribuído à imprensa, é “fixada cerca sanitária regional em todas as regiões, sendo proibida a circulação inter-regional em todo o território nacional, incluindo Bissau”.

A circulação inter-regional só está autorizada para entrada e saída de bens essenciais, transporte destinado ao escoamento da castanha de caju, ajuda humanitária, entrada e saída de pessoas doentes e utentes de serviços de rotina, e de deputados em exercício de funções.

O transporte de passageiros só é permitido dentro da mesma região, com os vidros abertos, e é obrigatório o uso de máscara.

Os proprietários de veículos de transporte de passageiros ficam também obrigados a proceder à limpeza das viaturas duas vezes por dia.

O regulamento determina também que é permitida a entrada e saída do território nacional.

“A realização de voos dentro do espaço aéreo sob jurisdição nacional fica condicionada a prévia autorização do membro do Governo responsável pelos transportes”, refere o regulamento.

A entrada de pessoas na Guiné-Bissau fica condicionada à apresentação de um teste negativo para covid-19 feito 72 horas antes do embarque.

O regulamento determina que fica proibida a saída do território nacional de alimentos, medicamentos e equipamento e material de saúde.

O Governo guineense manteve o uso obrigatório de máscara para circular nas vias públicas e estabelecimentos comerciais e outros e continuam encerrados espaços que impliquem a aglomeração de pessoas.

O exercício coletivo de liberdades religiosas em igrejas, mesquitas e outros locais de culto permanece proibido até 10 de julho, quando será feita uma nova avaliação à situação no país.

A Guiné-Bissau, com cerca de 1,7 milhões de habitantes, registava, até sexta-feira, mais de 1.600 infeções por covid-19 e 22 vítimas mortais.

No âmbito do combate à pandemia, o Presidente da Guiné-Bissau prolongou, pela sexta vez, o estado de emergência até 25 de julho.

Artigos relacionados
PolíticaPortugal

Escolas fechadas durante 15 dias. Apoio para famílias com crianças até aos 12 anos

PortugalSociedade

Há mais 13.544 infetados com covid-19 em Portugal e 221 mortos: novo máximo diário

BrasilPolítica

Brasil não tem vacina suficiente para a 1ª fase da imunização contra a Covid-19

MundoSociedade

Incêndio no maior fabricante mundial de vacinas na Índia

Assine nossa Newsletter