China escondeu gravidade do vírus para agarrar proteções

por Guilherme Rego

Novo relatório aproxima as autoridades norte-americanas da teoria de que China encobriu a extensão do surto do novo coronavírus e o seu grau de infecciosidade, enquanto açambarcava equipamentos de proteção para responder à doença.

Numa altura em que Donald Trump e os seus homens têm insistido na culpabilização do Governo chinês – até com conspirações à mistura – pela forma “lenta” e “secreta” como lidou com o surto de Covid-19, um relatório de quatro páginas do Departamento de Segurança Interna dos EUA – datado de 1 de maio e obtido pela agência “The Associated Press” (AP) – dá conta de que os chineses “ocultaram intencionalmente a gravidade” da pandemia no início de janeiro.

A análise, não secreta mas marcada como “apenas para uso oficial”, concluiu que, ao mesmo tempo que a China tranquilizava o seu povo e os outros povos, subestimando a gravidade do vírus desconhecido, aumentava acentuadamente as importações e diminuía as exportações de equipamentos médicos e proteção social, como máscaras, luvas e aventais cirúrgicos. O relatório indica mesmo que a China deixou passar grande parte de janeiro até informar a Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre a verdadeira ameaça contagiosa, para que pudesse mandar vir equipamentos do estrangeiro. Tentando encobri-lo, aponta o documento, o Governo de Xi Jinping ainda negou que houvesse restrições às exportações e atrasou o fornecimento dos dados comerciais. Conclusões que se baseiam na “probabilidade de 95% de as mudanças no comportamento das importações e exportações chinesas não estarem dentro do intervalo normal”, diz a AP, com base no relatório.

Leia mais em Jornal de Notícias.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!