Moçambique: ajuda precisa-se - Plataforma Media

Moçambique: ajuda precisa-se

É considerada a pior crise humanitária no país e uma das maiores catástrofes registada no hemisfério Sul. Moçambique foi atingido por um ciclone que fez pelo menos de 217 mortos e deixou 350 mil pessoas “em situação de risco”, de acordo com números oficiais disponíveis até ao fecho da edição. 

O presidente moçambicano, Filipe Nyusi, decretou estado de emergência e luto nacional de três dias, que termina hoje. A Cruz Vermelha fala de pelo menos 400 mil desajolados na Beira. Malaui e Zimbabué também foram atingidos pelo Idai. No total dos três países africanos estima-se que haja cerca de 400 mortos. 

O Idai, que provocou fortes chuvas e ventos de até 170 quilómetros por hora, atingiu a Beira, no centro de Moçambique, na quinta-feira à noite. Destruiu quase 90 por cento da capital da província de Sofala e a segunda maior cidade do país. Deixou os cerca de 500 mil residentes sem energia e linhas de comunicação. 

A diretora executiva da UNICEF Portugal afirmou que a situação em Moçambique é “avassaladora”, e que há “milhares de crianças desamparadas”, e que precisam de alimentos e abrigo.

Já o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados referiu que o ciclone afetou “gravemente” um campo de refugiados no Zimbabué, onde estão mais de 19 mil pessoas, incluindo moçambicanos e congoleses.

A Lusa avança que a ajuda humanitária a Moçambique, Maláui e ao Zimbabué superou já os 52,5 milhões de euros. Nações Unidas, Banco Mundial, União Africana, União Europeia, Reino Unido, Noruega, Espanha e Portugal são alguns dos muitos países e entidades que destinaram verbas para ajudar os países afectados. 

O Consulado de Moçambique em Macau, onde vivem perto de 50 moçambicanos, já abriu três contas solidárias para ajudar as vítimas do ciclone. Uma campanha à qual se junta o PLATAFORMA. Os donativos podem ser em patacas (conta 9015805031), euros (conta 9015805048) e em dólares norte-americanos (conta 9015806065), com o código swift BNULMOMX. As contas no Banco Nacional Ultramarino estão com o nome de “Solidariedade com Moçambique”. No Banco Comercial e de Investimentos, de Moçambique, também foram abertas as contas com o IBAN MZ59 000800007616042410180, para meticais; IBAN MZ59 000800007616042410374, em dólares norte-americanos, e MZ59 000800007616042410471, em euros. As três contas têm o código swift CGDIMZMAXXX. 

22.03.2019

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
Opinião

Liberalismo selvagem

Opinião

A Carne De Porco É Cara? Criemos Porcos!

Opinião

Pedido de Compensação Americano Terá Lugar Amanhã

Opinião

O caminho da montanha

Assine nossa Newsletter