AUMENTAM CRIMES LIGADOS AO JOGO - Plataforma Media

AUMENTAM CRIMES LIGADOS AO JOGO

 

O número de crimes relacionados com o jogo aumentou 16,3%, para 3.023 casos, relativamente ao ano de 2013, arrastados por signficativas subidas nos casos de sequestro e agiotagem.

 

Para o diretor da Polícia Judiciária de Macau, Chau Wai Kuong, este aumento anual deve-se à “fase de ajustamento” da indústria que, desde junho de 2014 tem registado quebras homólogas das receitas.

A Polícia Judiciária (PJ) registou 3.023 crimes relacionados com atividade do jogo, uma subida de 16,3% contra 2013. Entre estes crimes, 71 reportam-se a casos de sequestro e 208 de agiotagem, ilícitos que subiram significativamente e que o diretor Chau Wai Kuong justificou com a “fase de ajustamento” da indústria, defendendo que isso potencia mais crimes.

Durante um balanço da atividade de 2014, a PJ anunciou um aumento de 4,5% no número de processos abertos ao longo do ano. Chau Wai Kuong disse também que entre janeiro de dezembro foram concluídos 12.248 processos, mais 25,75% do que em 2013.

Até 20 de dezembro de 2014, a PJ de Macau tinha como diretor Wong Sio Chak, atual secretário para a Segurança do Governo.

Chau Wai Kuong disse que o número de homicídios e de raptos se mantiveram inalterados (apenas um caso de cada) e que os de fogo-posto caíram de 19 em 2013 para 13 no ano passado.

A PJ deu também conta de 91 roubos por esticão (menos 37 que em 2013), 1.525 casos de furto (menos 278 do que em 2013) e 173 furtos a residências (menos 149 do que em 2013).

Entre as preocupações da PJ estão os crimes de burla ou praticados através da internet como extorsão, situação que vai obrigar a polícia judiciária a reforçar a prevenção para este tipo de criminalidade junto da população.

É que, salientou Chau Wai Kuong, o trabalho específico desenvolvido pela Polícia Judiciária, como a prevenção nos edifícios residenciais, estava dar resultado nos assaltos.

Já nos crimes de tráfico de droga, a PJ registou uma redução de 24,8% para uma centena de casos, incluindo dois transfronteiriços, um dos quais detetado com o raio-X instalado no aeroporto internacional de Macau.

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter