BRASIL BLOQUEOU 200 MILHÕES DE DÓLARES POR CORRUPÇÃO DESDE 2004 - Plataforma Media

BRASIL BLOQUEOU 200 MILHÕES DE DÓLARES POR CORRUPÇÃO DESDE 2004

 

O Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) conseguiu bloquear  cerca de US$ 200 milhões de dólartes a pessoas investigadas por corrupção, nos seus 10 anos de existência.

Vinculado ao Ministério da Justiça, o DRCI atua em regime de cooperação internacional para bloquear e recuperar, em contas no Brasil e no exterior, quantias provenientes de atividades criminosas. De acordo com o secretário nacional de Justiça, Paulo Abrão, o departamento tem atuado em parceria com a Justiça na Operação Lava Jato, assim como em outras investigações que combatem a corrupção.

“Todas as vezes em que há uma grande operação de investigação no Brasil e se necessita de comunicação com autoridades exteriores, a SNJ [Secretaria Nacional de Justiça] colabora. Não somente nesse caso, mas, em quaisquer casos que envolvam a demanda do sistema de Justiça, nós atuamos”, disse.

Por ocasião do Dia Internacional de Combate à Corrupção, que se comemorou no dia 8 de dezembro, Abrão ressaltou que o modelo brasileiro de recuperação de ativos é referência para outros países.

“O Grupo de Ação Financeira Internacional tem apontado o modelo de criação da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro como um exemplo internacional. Essa estratégia completou dez anos e demonstra que o Brasil criou um mecanismo de combate à corrupção sistêmica”, disse.

 

“EXTREMA CORRUPÇÃO”

O procurador-geral do Brasil, Rodrigo Janot, disse hoje que o seu país é “extremamente corrupto”, exemplificando com o escândalo dos subornos na petrolífera Petrobrás, que considerou que “envergonha toda a sociedade”.

Na abertura de uma conferência da Associação Iberoamericana dos Ministérios Públicos sobre a corrupção em Brasília, que se assinala no âmbito da cimeira ibero-americana que decorre no México, Rodrigo Janot afirmou estar “perante um dia de celebração [Dia Internacional contra a Corrupção], mas na realidade so temos motivos para lamentar e lamentar muito”, disse, referindo-se aos níveis de corrupção que o Brasil apresenta e à sucessão de escândalos que atingem os partidos políticos e os empresários.

“O Brasil é extremamente corrupto”, afirmou durante o discurso, no qual disse que o escândalo da Petrobras “envergonha toda a sociedade”, segundo a agência espanhola Efe.

Em particular, Janot referiu-se à petrolífera Petrobrás, sobre a qual recaem suspeitas de desvios de dinheiro por políticos e empresários, na última década, de mais de 3,5 mil milhões de dólares (2,8 mil milhões de euros).

“É evidente que não se pode generalizar, mas o país não aguenta mais estes níveis de corrupção e a desfaçatez de muitos agentes públicos e empresariais”, enfatizou o magistrado.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter