TDM E RTP COOPERAM

por Arsenio Reis

 

Protocolo de cooperação abrange as áreas da formação, coprodução e partilha de conteúdos.

 

A Teledifusão de Macau (TDM) e a Rádio e Televisão de Portugal (RTP) assinaram um protocolo de cooperação, no seguimento de outro assinado em 1993, que abrange as áreas da formação, coprodução e partilha de conteúdos.

O protocolo foi assinado, em Macau, pelos presidentes dos Conselhos de Administração da TDM e RTP, respetivamente, José Manuel de Oliveira Rodrigues, e Alberto da Ponte.

“A RTP é uma imagem e uma presença de longa data na Região Administrativa Especial de Macau. Em relação aos telespectadores lusófonos é quase imprescindível”, disse José Manuel de Oliveira Rodrigues, ao salientar que o novo protocolo “abre horizontes na perspetiva da formação de quadros.

Também Alberto da Ponte destacou que as duas empresas vão procurar concretizar metas específicas no âmbito da formação, cooperação e coprodução. “A formação é um aspeto muito importante, porque todos sentimos a grande mudança, e a grande velocidade a que essa mudança está a acontecer no mundo do audiovisual”, afirmou.

O presidente da RTP recordou que a televisão portuguesa e chinesa CCTV assinaram este ano um acordo, o qual levou à produção de dois documentários – “Charming China” e “Charming Portugal” – realizados por equipas portuguesas e chinesas e que deverão estar concluídos em 2015.

No campo da coprodução, Alberto da Ponte antevê que a parceria entre as estações portuguesa e de Macau seja concretizada sobretudo ao nível do documentário.

“Penso que faria todo o sentido que Portugal tenha um conhecimento mais profundo da realidade de Macau”, adiantou.

Por sua vez, o presidente da Comissão Executiva da TDM, Manuel Pires, destacou a “novidade da perspetiva de colaboração tripartida” entre a RTP, TDM e CCTV. “Isso quer dizer que a TDM assume um papel de plataforma na troca de programas entre a CCTV e a RTP, ou seja, os programas da CCTV são enviados para Macau, nós fazemos a dobragem, enviamos o texto e o sinal internacional, e a RTP fará a locução dos programas. E vice-versa fica também aberta a possibilidade de a TDM fazer chegar programas da RTP à CCTV”, explicou.

Por outro lado, indicou que há interesse da TDM em identificar oportunidades na coprodução com a RTP: “Há muitas áreas de interesse, e penso que será uma boa oportunidade para apresentarmos Macau (em Portugal)”.

Manuel Pires enalteceu ainda a possibilidade de as ações de formação passarem pelo centro de formação da RTP, e de a estação portuguesa usar “Macau como base para que os seus profissionais fiquem familiarizados com a realidade da China”.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!