OSAMA, ROMÁRIO E TIRIRICA - Plataforma Media

OSAMA, ROMÁRIO E TIRIRICA

 

Como sempre acontece, as eleições brasileiras apresentam candidatos para todos os gostos. Uns são eleitos, outros nem por isso.

“Osama Bin Laden” concorreu a deputado estadual pelo Amazonas, vestido como o morto fundador da Al-Qaeda, mas o pecado que provocou a sua detenção não foi esse – ele foi preso depois de apelar ao voto em frente a um local de votação, o que é proibido no Brasil.

O candidato do Partido Trabalhista Nacional (PTN), cujo nome verdadeiro é Manoel Nunes de Assis, abordava possíveis eleitores oferecendo garrafas com água, em Manaus, segundo a imprensa brasileira.

Caso seja considerado culpado pela campanha ilegal, poderá perder a inscrição como candidato.

Outros famosos, mas vivos: Romário, foi  o senador mais votado pelo Rio de Janeiro, e o humorista “Tiririca”, segundo deputado federal mais votado por São Paulo.

Após tornar-se um fenômeno de votos em 2010, sendo o deputado federal mais votado do país, com 1,34 milhões de votos, o cantor e humorista Francisco Everardo Silva, mais conhecido como “Tiririca”, repete o êxito, embora com menor intensidade, tendo sido reeleito como o segundo mais votado, com 981.864 votos.

Já o ex-jogador Romário, eleito em 2010 para deputado federal, conseguiu domingo o lugar de senador pelo Rio de Janeiro, com 4,6 milhões de votos, ou 63,4% do total de votos válidos de seu estado.

Num breve discurso após o resultado, o novo senador, que se destacou durante o mandato como deputado principalmente por suas críticas à Federação Internacional de Futebol (Fifa), afirmou que o povo brasileiro precisa de um político que “tenha coragem de falar”.

Romário é do Partido Socialista Brasileiro (PSB), de centro-esquerda, o mesmo partido da candidata Marina Silva, que disputou a corrida presidencial.

Companheiro de Romário na conquista do tetracampeonato da seleção brasileira de futebol, em 1994, o ex-futebolista Bebeto também conseguiu a reeleição como deputado estadual, com 61.079 votos.

O mundo do futebol colaborou ainda para a política brasileira com Jardel, o ex-jogador do Grémio, quem conquistou 41.227 votos e tomará posse como deputado estadual pelo Rio Grande do Sul em janeiro.

Já o mítico Roberto Dinamite, também antigo jogador e atual presidente do Vasco, não conseguiu a eleição como deputado estadual pelo Rio de Janeiro, obtendo apenas 9.452 votos.

Pelo caminho ficaram ainda outros ‘famosos’ como o ex-concorrente do Big Brother Brasil, Diego Alemão, que lutava por um lugar de deputado federal pelo Partido Verde (PV), mas não conquistou a posição depois de recolher apenas 4.947 votos.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter